segunda-feira, 1 de novembro de 2010

AS 05 LIÇÕES DA CARTA A FILEMOM - FM 1:8-21


Ainda que eu sinta plena liberdade em Cristo para te ordenar o que convém, prefiro, todavia, solicitar em nome do amor (8,9)

A CARTA A FILEMOM foi escrita por Paulo em torno do ano 60 d.C., durante a sua primeira prisão em Roma, quase na mesma época em que as cartas aos Efésios e aos Colossenses foram escritas. Ela é a mais breve entre todas as cartas de Paulo; consiste de apenas 335 palavras no original (grego) e somente 25 versículos .
É provável que Filemom fosse um membro rico da Igreja de Colossos. O PROPÓSITO de Paulo em ter escrito esta carta foi convencer Filemom a perdoar Onésimo, um escravo seu (Filemom) fugitivo. Cabe ressaltar que a pena para um escravo fugitivo era a morte. Paulo evangelizou o escravo Onésimo na prisão e este veio a se converter. Com a conversão, Onésimo, que antes fora um inútil agora, no Senhor, tornou-se útil (Paulo fez um "jogo de palavras" uma vez que Onésimo significa útil). A intenção de Paulo é que Filemom não receba Onésimo mais como escravo mas o aceite como um irmão na fé.
Alguém já disse que a carta a Filemom poderia ser chamado de Evangelho de Filemon. Porquê? Há nestes poucos versículos uma ILUSTRAÇÃO DA OBRA DE CRISTO; uma analogia, comparação com a obra da redenção:
A) Onésimo SE REBELA foge de Filemon - O pecador SE REBELA e foge de Deus.
B) Paulo se encontra com Onésimo – Cristo se encontra com o pecador
C) Paulo se identifica com ele – Cristo se identifica conosco
D) Paulo intercede (mediador entre Onésimo e Filemom) por ele. Jesus intercede (mediador) por nós.
E) Paulo se dispõe a pagar a dívida de Onésimo – Cristo rasgou o escrito de dívida “pagou nossos débitos”
F) Paulo não pede nada em troca – Cristo não pede nada em troca - isso é graça
G) Onésimo não tem nada a oferecer – O pecador não tem nada a oferecer
H) Onésimo é reconciliado com Filemon – O pecador é reconciliado com Deus
I) Onésimo tem acesso a Filemom – O escolhido de Deus tem, agora, acesso ao Pai,
J) Onésimo agora é um irmão - Não somos mais escravos do pecado, pertencemos à mesma família.
K) Onésimo era inútil agora é útil – Éramos velha criatura agora somos nova criatura
Todas essas figuras lançam luz acerca da nossa grande salvação em Cristo embora essa carta não seja doutrinária como as demais do apóstolo, é uma perfeita ilustração da doutrina DAQUILO QUE Cristo fez para conosco.
O seu oferecimento de pagar a dívida e a recepção de Onésimo por Filemon por causa de Paulo; a restauração do escravo solicitada “[...] em nome do amor” (v. 9).
Lutero disse que todos nós somos Onésimos. Jesus se identificou de tal forma conosco que o Pai nos recebe como ao próprio Filho. Somos aceitos no Amando (Ef 2.6). Fomos vestidos com sua justiça (2 Co 5.21).
Dessa carta tão linda, especialmente dos versículos 8 a 22, podemos extrair algumas lições importantes:

1ª LIÇÃO - APRENDEMOS ACERCA DA PROVIDÊNCIA DE DEUS
Pois acredito que ele veio a ser afastado de ti temporariamente, a fim de que o recebas para sempre - 15
A carta do Apóstolo a Filemon, demonstra os caminhos sábios e amorosos de Deus para cumprir seus propósitos. “NA VIDA DAQUELE QUE É ESCOLHIDO POR DEUS NÃO EXISTEM COINCIDÊNCIAS, O QUE EXISTE É PROVIDÊNCIA DIVINA”
A Providência de Deus diz respeito ao governo, ao controle, à direção sábia e amorosa do senhor ao dirigir e governar a vida de seus escolhidos, conduzindo-os sempre ao fim melhor.
O que Deus é capaz de fazer para salvar um perdido? Alguém pode calcular? O Apóstolo Paulo fala em Rm 11:33: “Ó profundidade das riquezas tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus, quão insondáveis são os seus juízos e quão inescrutáveis os teus caminhos...” Os caminhos de Deus na vida de Onésimo o amor de Deus para com ele era maior do que a sua rebeldia, orgulho e presunção.
A bíblia não diz "por que", apenas relata que Onésimo tornou-se um escravo fugitivo. Viaja, não se sabe como para longe, Roma (capital). De repente é pego e preso. Passa de cela em cela, prisão a prisão. Até que numa cela está exatamente o apóstolo Paulo. O que é isso? Coincidência? Se Filemon o encontrasse antes sofreria grave castigo, talvez seria morto. A verdade é que não era Onésimo que estava fugindo; era Deus que o estava conduzindo (por Sua providênciia - sem Onésimo saber) aos Seus propósitos. Aleluia!
Mas a providência de Deus estava na vida de Onésimo, e na sua infinita sabedoria de conduzir todas as coisas, não permite que Filemon, no momento da sua ira localize Onésimo em Roma, e também o protege da morte em Roma. O Espírito Santo então conduz Onésimo a um homem velho numa prisão de Roma chamado Paulo. “Quão insondáveis...”
Isto chama-se providência de Deus, a atuação do Espírito Santo no mundo a favor de seus escolhidos!
ALGUÉM JÁ DISSE QUE a moinha de Deus mói devagar, mas mói muito bem.
Com Jose foi assim. Jogaram numa cisterna. Quando iam mata-lo passou uma caravana de ismaelitas que seguiam para o Egito. Lá foi preso, mas aconteceu que dois homens lhe contaram seus sonhos. Depois foi Faraó. Ele foi posto no trono para o momento de fartura e seca. Depois de muitos anos ele se encontra com seus irmãos e os perdoa porque entendeu em tudo a providência de Deus!! Aleluia!
Assim também Deus agiu nas nossas vidas, os caminhos dele foram muito maiores do que os nossos tortuosos caminhos escolhidos por nós mesmos. O profundidade das riquezas... Deus é profundo e rico em sabedoria e conhecimento, alguém por ventura consegue enxergar a profundidade da sabedoria, riqueza, conhecimento e força do Deus Eterno? Meus irmãos, Deus estava por trás ou melhor na frente de tudo.
A carta a Filemom nos ensina que Deus pode estar presente nas circunstâncias mais adversas (v. 15). Quando as coisas parecem fora de controle e as rédeas saem das nossas mãos, descobrimos que elas continuam sob o controle soberano de Deus. Aquilo que nos parecia perda é ganho. Deus reverte situações humanamente impossíveis.

2ª LIÇÃO - APRENDEMOS ACERCA DO PODER DE DEUS
Ele, antes, te foi inútil; atualmente, porém, é útil, a ti e a mim - 11
A carta a Filemon nos ensina que Deus ainda transforma desertos secos em mananciais exponenciais. Essa carta tem um profundo valor prático – Se não há causa perdida para Deus, também, não há vida irrecuperável. “JAMAIS DEVEMOS DUVIDAR OU LIMITAR O PODER DE DEUS – NÃO EXISTE VIDA IRRECUPERÁVEL”.
Onésimo era um escravo rebelde e fugitivo. Nada havia nele que o pudesse recomendar. É provável que houvesse rebeldia e muito ódio no seu coração.
Naqueles dias a escravidão era algo muito forte no Império Romano. Os estudiosos dizem que havia em todo o império uma média de 60.000.000 de escravos. Os escravos não tinham direitos legais. Pela mínima ofensa eles podiam ser açoitados, mutilados e até mesmo crucificados. Há uma história de uma escrava linda que se envolveu com o patrão. Pois a patroa mandou vazar os dois olhos da escrava com ferro em brasa. Não eram somente os negros que eram escravizados como foi a escravidão do Brasil, por exemplo. A pessoa poderia vir a tornar-se escravo por diversas razões: poderia nascer na condição de filho de escravos e assim passaria a pertencer ao seu senhor; poderia ser devido à pobreza,, ou a uma dívida (quando familiares eram vendidos para arrecadar dinheiro); poderia ser devido à prática do roubo, o que culminava na prisão e possibilidade de se tornar escravo também.
Não sabemos com certeza o que levou Onésimo a ocupar esta condição, mas sabemos que ele fugiu revoltado, e teve um encontro com Cristo e sua vida foi transformada. Ele se tornou uma nova criatura e as coisas velhas ficaram para trás. Esta mudança é claramente vista na afirmação de Paulo a Filemom: Ele antes te foi inútil, atualmente, porém, é útil, a ti e a mim (v.11), Paulo escolhe propositalmente estas palavras porque o nome Onésimo significa "útil".
Antes desta transformação, Onésimo demonstrou ser um escravo rebelde e que provavelmente ainda roubou a Filemom por ocasião de sua fuga, pois Paulo menciona um possível prejuízo e a lógica nos faz entender que se este homem conseguiu chegar a Roma (onde Paulo estava preso) deve ter conseguido algum dinheiro ou forma de pagamento de suas despesas – o que um escravo normalmente não possuía.
Meus irmãos é isso que a bíblia nos diz: se alguém está em Cristo nova criatura é: as cosas antigas passaram. Tudo se fez novo. Fomos desarraigados deste mundo perverso. Somos transportados do império das trevas para o reino do Filho do seu amor. E não existe vida irrecuperável. Deus muda desde a vida mais simples até de um escravo revoltado, e fugitivo. Deus pode mudar a sua vida, a vida de seu esposo, de seu filho ele pode mudar a sua sorte "como as torrentes no Neguebe," ao ponto de você ficar "como quem sonha" e as pessoas ao seu redor dizendo: "Realmente grandes coisas tem feito o Senhor por ele". Aleluia! Seu filho "rebelde" pode ser uma bênção. Sua filha "ingrata" pode ser a menina cheia do Espírito Santo. Seu marido "ignorante" pode ser um grande pregador do evangelho. Sua esposa "inconseqüente" pode ser uma grande mulher nas mãos de Deus. Nós aprendemos isso nessa noite com a vida de Onésimo.

3ª LIÇÃO – APRENDEMOS SOBRE A NECESSIDADE DE ACERTAR AS NOSSAS PENDÊNCIAS
Eu to envio de volta em pessoa, quero dizer, o meu próprio coração - 12
Filemon era um crente da cidade Colossos. A ocupação de Filemon era ser Senhor de escravos e um de seus escravos era um homem chamado Onésimo. Ao que Paulo diz, parece que Filemom não era um mau patrão. Provavelmente era um bom patrão. Paulo diz (4,5): Dou graças ao meu Deus, lembrando-me, sempre, de ti nas minhas orações, estando ciente do teu amor e da fé que tens para com o Senhor Jesus e todos os santos. Depois que Paulo pediu para Filemom receber Onésimo como irmão e não mais escravo ele demonstrou confiança (21): “Certo, como estou, da tua obediência, eu te escrevo, sabendo que farás mais do que estou pedindo.”. E veja que ainda foi além; pediu pousada para a viagem (22): “E, ao mesmo tempo, prepara-me também pousada, pois espero que, por vossas orações, vos serei restituído.”.
Paulo me lembrou do relato dos crentes da igreja da Galácia: “Pois vos dou testemunho de que, se possível fora, teríeis arrancado os próprios olhos para mos dar. (Gl 4:15)”. Eu conheço gente que é assim comigo. Se eu pedir elas fazem; elas "carregam água na bacia" por mim... A amizade é verdadeira; e olha que ainda me agradecem.
Mas Onésimo não se contentava com a vida de servo; ele se rebelou contra seu Senhor Filemon e fugiu. Ele buscou a "liberdade fácil". E para onde que ele foge? Para a cidade de Roma. Roma representa o mundo. A cidade de Roma tinha tudo para fascinar e atrair qualquer ser humano da época, assim como o mundo de hoje.
PROVAVELMENTE PARA CHEGAR LÁ, É PROVÁVEL QUE ONÉSIMO TENHA ROUBADO A FILEMOM. Diz o versículo 18,19a: E, se algum dano te fez ou se te deve alguma coisa, lança tudo em minha conta. Eu, Paulo, de próprio punho, o escrevo: Eu pagarei... Onésimo provavelmente havia conversado muito com Paulo sobre essa situação e estava disposto a voltar a Filemon. Paulo entendeu tão bem a situação ocorrida entre Filemon e Onésimo; sabia que havia grandes chances de Filemon ter ficado com algum prejuízo (tanto material, quanto emocional)
Onésimo era um escravo que fugiu da casa de seu senhor. Nas suas andanças pelo mundo encontrou a Paulo e recebeu a palavra com alegria em seu coração, transformando-se num irmão fiel em Cristo. Quando ele conheceu o Senhor Jesus, tudo começou a ser colocado em ordem na sua vida e um dos próximos passos era reconciliar-se.
MEUS IRMÃOS, CONHEÇO MUITOS CRENTES QUE ATÉ QUEREM SER BÊNÇAO, MAS SEM "ACERTAR AS COISAS". Perceba algo: mesmo reconhecendo que Onésimo havia sido transformado e perdoado por Deus, Paulo não deixa de reconhecer que ele ainda tinha pendências a serem corrigidas. ISSO É DEVERAS IMPORTANTE: Nossa transformação não remove de nós a responsabilidade de consertar algumas coisas que fizemos de errado em nosso passado. Não podemos agir certo só da conversão em diante; precisamos resolver algumas “coisinhas” que ficaram para trás, também.
Foi isso que aconteceu com Zaqueu quando ele se converteu: "Entrementes, Zaqueu se levantou e disse ao Senhor: Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais. Então, Jesus lhe disse: Hoje, houve salvação nesta casa, pois que também este é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido". (Lc 19.8-10). Observe que Jesus só exultou depois da decisão de Zaqueu.
Eu me lembro de uma recém convertida em meu primeiro ministério. Ela antes de se converter brigou com outra "senhora" da cidade, a briga foi séria; foi de "rolar na poeira", puxar cabelo e rasgar a roupa. Preguei ela se converteu. Um dos primeiros sinais da conversão desta nova covertida foi pedir perdão. Outra pessoa que sabia da história veio me perguntar: Pastor, o que está acontecendo na sua igreja? Só pode ser obra do Espírito Santo...
Irmãos percebam isso: da mesma forma como Paulo pede restauração em favor de Onésimo, poderia também pedir o perdão da dívida. Mas ele não faz isto, pois sabia que este era um princípio que deveria ser praticado e não ignorado. Quantos crentes de hoje precisam aprender este princípio! Antes de nos entregar a Jesus deixamos para trás um rastro de injustiças praticadas e achamos que não precisamos fazer mais nada, "só porque Jesus nos perdoou???" Não é bem assim!
Tem muita gente por aí que ainda está presa a situações de seu passado E SAO EXATAMENTE ESSAS COISAS NOS QUE IMPEDEM DE DESENVOLVER NA VIDA ESPIRITUAL. A reconciliação costuma produzir vergonha na parte culpada quando sabe que vai encarar a vítima. Não sabemos quanto tempo isso levou para acontecer, MAS ORE, peça Deus força e condição. Acerte o seu passado. Se não sua vida será como tartaruga com uma casca enorme que te empurra para baixo!
E você? Como está sua vida? Ainda traz consigo pendências não resolvidas? Acredito que esta é uma mensagem de Deus para muitos corações que necessitam de conserto.
Eu acredito que haja pessoas aqui, nesta noite, neste lugar que precisam acertar, consertar certas pendências. Infelizmente, irmão a intriga sempre existiu e existirá no meio do povo de Deus nesta terra. Mas é em momentos como este que os aprovados se manifestam: Porque até mesmo importa que haja partidos entre vós, para que também os aprovados se tornem conhecidos em vosso meio. (1Co 11.19.). Aprendemos com esta carta sobre a necessidade de acertar as nossas pendências. Aleluia!!

4ª LIÇÃO – APRENDEMOS SOBRE A NECESSIDADE DE TRATAR COM O NOSSO SENSO DE JUSTIÇA PRÓPRIA
nada, porém, quis fazer sem o teu consentimento, para que a tua bondade não venha a ser como que por obrigação, mas de livre vontade - 14
Já falamos que provavelmente Filemom fosse era um bom patrão. Agora tente imaginar Filemom como alguém “afeiçoado”, dócil. Com o histórico de virtudes descrito por Paulo, deve ter sido alguém que certamente se classificava como “um bom senhor”. No entanto, ainda assim, Onésimo foge, o rouba; e lhe dá prejuízo. É provável que Filemom dissesse: "aquele maldito cuspiu no prato que comeu. Ingrato. Tratei bem para isso..." Você já se sentiu injustiçado? Já sentiu a dor da traição? Da Ingratidão? Eu, já, e dói demais, gente...
Acredito que esta história deixou mágoas e feridas. Deixou no ar um cheiro de ingratidão para Filemom. Não era o que ele esperava colher da parte de Onésimo... Veja, se Onésimo fosse encontrado por Filemon, sofreria grave castigo, talvez sua escravidão seria aumentada por toda vida, ou até mesmo morreria com maus tratos.
Já falamos que a reconciliação costuma produzir vergonha na parte culpada, MAS, ainda é preciso observar TAMBÉM que reconciliação costuma produzir SENSO DE AUTO-JUSTIÇA na parte QUE SE JULGA CERTA (NO CASO- FILEMOM). Lhe pergunto sinceramente; será que com toda a bondade de Filemom ERA FÁCIL, AGRADÁVEL, UM MAR DE ROSAS, A VIDA DE ESCRAVO?
ACREDITO QUE É por isso que Paulo diz algumas coisas. Veja (8,9): “Pois bem, ainda que eu sinta plena liberdade em Cristo para te ordenar o que convém, prefiro, todavia, solicitar em nome do amor”. Tem certas coisas na vida, meu irmão, que não adianta empurrar "goela abaixo". Algumas coisas não são questão de "forçar a barra"; é questão de abrir o coração para o Espírito Santo regar, banhar, amolecer com óleo, fazer a obra. Aí sim é que Paulo vai dizer (14): nada, porém, quis fazer sem o teu consentimento, para que a tua bondade não venha a ser como que por obrigação, mas de livre vontade - 14
TUDO ISSO SIGNIFICA UMA ÚNICA COISA COM DOIS LADOS: O SENHOR QUERIA RESTAURAR ONESIMO (DA VERGONHA). MAS, O SENHOR TAMBÉM QUERIA RESTAURAR FILEMOM. 
FILEMOM PRECISAVA SER RESTAURADO DE PELO MENOS DUAS COISAS:  A) DO SENSO DE AUTO-JUSTIÇAISSO EU NÃO POSSO FAZER... – B) DE SUA AUTO-PIEDADE: “NUNCA MAIS TRATO NINGUÉM ASSIM...; SEMPRE ME FALARAM QUE ERA ISSO QUE IA ACONTECER COMIGO....
TANTO ONÉSIMO, QUANTO FILEMOM, AMBOS PRECISAVAM SE HUMILHAR - PRECISAVAM DE GRAÇA, DE MISERICÓRDIA DE RESTAURAÇÃO.
Os relacionamentos cristãos devem ser impregnados de perdão e aceitação. Quando viemos para Cristo, nossas pendências antigas são perdoadas por Ele, mas suas conseqüências são inevitáveis, elas virão. Não sei quanto tempo levou para que Filemon e Onésimo acertassem as coisas mas o Senhor pela suas graça, misericórdia e providência propiciou o encontro entre eles...
Você é capaz de perdoar, sem se auto-justificar, àqueles que o prejudicam sem se auto-justificar; sem se achar o mais desprezado dos homens, sem se achar um "deus acima do bem e do mal"?
Por trás de todo enredo da vida de Filemom e Onésimo, vemos a mão sábia soberana e providência divina propiciando a ambos, mediados por Paulo, a condição de se perdoarem mutuamente, como irmãos em Cristo, não mais como "senhor e escravo", mas como irmãos, plenamente livres para se relacionarem de igual para igual. Isso é lindo demais... Aleluia!!

QUINTA LIÇÃO – APRENDEMOS SOBRE A EXCELÊNCIA DO EVANGELHO
que o recebas para sempre, não como escravo; antes, muito acima de escravo, como irmão caríssimo, especialmente de mim e, com maior razão, de ti, quer na carne, quer no Senhor – 15b,16
Onésimo era inútil antes de se converter, mas, agora, transformado, seria NÃO um “escravo de grande valor" para Filemon (havia escravos de grande valor – Eliézer (Abraão) ou outros que se apegavam e se dedicavam para sempre – furavam a orelha). Não é isso que Paulo pede. É mais do que isso.
Paulo pede que Filemom receba Onésimo como a um irmão. O verbo “receber” AQUI no versículo 17 é "receber dentro do círculo familiar". Imagine um escravo entrando PARA o círculo familiar do seu senhor... Imagine-o assntando à mesa, nas reuniões sociais...
As culturas romana, grega e judaica eram recheadas de barreiras, nas quais a sociedade determinava classes às pessoas e esperava que estas ficassem em seus lugares - homens e mulheres, escravos e livres, ricos e pobres, judeus e gentios, gregos e bárbaros, religiosos e pagãos. Mas a mensagem de Cristo veio para desfazer as barreiras, e Paulo pôde declarar: "Onde não há grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas, Cristo é tudo em todos" (Cl 3.11).
A vida tem muitas paredes e cercas que dividem, separam e criam compartimentos. Não são barreiras feitas de madeira ou pedra, talvez se o fossem seriam mais fáceis de serem removidas. Mas elas são obstruções pessoais que bloqueiam as pessoas umas em relação às outras, e em relação a Deus. A pessoa simplesmente diz: eu não gostei de você, não fui com a sua cara, é questão de pele, meu santo não bate com o dele.
“O VERDADEIRO EVANGELHO IMPLODE, DINAMITA, ROMPE TODAS AS BARREIRAS QUE NOS SEPARAM. ROMPE COM AS CONVENIÊNCIAS, SOCIAIS, CULTURAIS, FILOSÓFICAS ETC... TODAS AS BARREIRAS QUE NOS AFASTAM, DE USUFRUIRMOS A VERDADEIRA COMUNHÃO, O VERDADEIRO SENSO DE PERTENCERMOS A UMA AUTÊNTICA FAMÍLIA”
OBSERVE QUE Paulo não se detém nas questões legais da época (ESCONDER-SE DEBAIXO DOS "DIREITOS DO PATRÃO", ou em como "tratar um escravo fugitivo". Ele se prende à lei de Deus, que é o amor – O AMOR DETONA TODAS ESSAS PRETENSAS JUSTIFICATIVAS)
Cristo veio como o "grande destruidor de barreiras", derrubando a divisória de pecado que nos separava de Deus e desfazendo as barreiras que nos afastavam uns dos outros. Sua morte e ressurreição serviram caminho para a vida eterna, a fim de conduzir todo aquele que crê para a família de Deus.
Que escravidão é esta? Paulo não discute a teoria da escravidão, mas acaba com ela em termos práticos. Escravo não é irmão, mas Filemon e Onésimo são irmãos. A conversão a Cristo uniu na mesma família da fé e na mesma igreja senhores e servos. Amo e escravo foram unidos no Espírito Santo e nessa união foram extintas todas as distinções sociais (Gl 3.28). As barreiras do passado e as novas barreiras que foram erguidas pela cultura, pelos preconceitos próprios, deserção e pelo roubo de Onésimo não deveriam mais dividi-los - pois eles agora fazem parte do corpo de Cristo.
A escravidão era difundida no Império Romano, mas ninguém está perdido de Deus ou fora do alcance do seu amor. A escravidão era uma barreira entre as pessoas, mas o amor e a comunhão cristã devem superar tais barreiras. Em Cristo somos uma só família. Nenhuma diferença racial, econômica ou política deve nos separar. Deixe Cristo agir por seu intermédio para remover barreiras entre irmãs e irmãos cristãos.
Que barreiras existem em sua casa, seu bairro ou sua igreja? O que separa você de seus companheiros crentes? Raça? Posição social? Riqueza? Educação? Personalidade? Como a Filemom, Deus lhe chama para buscar a unidade, derrubando estas paredes e abraçando seus irmãos e irmãs em Cristo.

CONCLUSÃO
Falamos no início que a história de Filemom e Onésio é uma METÁFORA; ela extrapola o primeiro século e chega aos nossos dias. Ela, repito, é uma metáfora, um resumo do Evangelho, que fala desta graça que vem anós, do amor de Deus que ministramos uns aos outros por causa do amor que recebemos. Evangelho é graça que vem do amor. Evangelho é perdão pleno, é exortação ao exercício da graça, é a busca da reconciliação.
A história de Onésimo é uma metáfora de cada um de nós. Todos somos Onésimos. Até que aceitamos Jesus como nosso Senhor, vivemos como Onésimo, fugitivos de nosso verdadeiro Senhor, Senhor que morreu em nosso lugar para que ficarmos longe da culpa pela fuga.
O que Onésimo teve que fazer para evitar o castigo? Apenas uma coisa. Retornou. Retornou ao seu senhor Filemom.
1. Se você é alguém que está numa condição semelhante à de Onésimo, precisa buscar acerto.
Onésimo fez o que devemos fazer: voltar. Assim como ele voltou para Filemon, devemos voltar para Deus. Ele nos espera para tornar pessoal a graça universal dEle. Podemos viver como escravos fugitivos de Deus ou como pessoas restauradas, adotadas na família de Deus. Esta é a graça que recebemos.
Mas também pode ser uma metáfora em relação a Filemon. Paulo não quis impor a Filemon o encargo de ministrar graça, mas esperava isto dele. Deus não nos impõe semelhante obrigação, mas espera que ministremos graça, como seus parceiros.
2. Se você é alguém que, como Filemom foi ofendido e lesado, precisa perdoar quem te fez isto.
Quem se dispõe a ministrar a graça precisa saber que vai ter que, talvez até, receber as incompreensões ou mesmo tentativas de exploração. Talvez marcados por alguma decepção, alguns cristãos se esquecem de ministrar a graça; se sentem nos seus direitos, acima do bem e do mal.. Quando ministramos a graça, não devemos visar qualquer benefício. Somos, seres humanos, movidos a recompensas. A graça vem do amor. Ponto. Não ministramos graça para receber mais graça. Ministramos graça porque recebemos a graça.
O SILÊNCIO DA CARTA A FILEMOM
Mas a carta não diz que Filemom fez isso (perdoou e restaurou Onésimo). Ela termina num silêncio. Por quê? Acredito ser providencial. Porque você vai escrever esta história; você se convenceu da necessidade de acertar as coisas? Então você irá demonstrar essa atitude na vida prática pedindo perdão ou concedendo perdão sem se auto-justificar...
A Providência te trouxe hoje aqui para que aqui sua vida seja transformada...
Que Deus te abençoe em nome de Jesus... Amém!

5 comentários:

  1. Querido irmão e pastor Valdemir , antes de comentar sua exposição da carta á Filemom quero dizer q já vinha meditando muito nesta carta mas era como andar num nevoeiro , eu não sabia o q fazer com essas lições .
    Mas sua exposição me abriu o horizonte , fico tão feliz em ter encontrado esta página !
    Gostaria de lhe agradecer por postar esses ensinamentos e dizer q o senhor me abençoou .
    Agora tenho no livro de Filemom um bilhete de Paulo q pode pautar muitas áreas da minha vida.
    Q DEUS seja sempre com o senhor e a cada dia te surpreenda com Sua generosidade . Abraços amigo .
    Se não neste mundo quero te conhecer no céu .
    O melhor de DEUS pra vc e sua família .

    ResponderExcluir
  2. Graça e Paz querido pastor,

    Quero agradecer à Deus pela sua vida que com certeza está salvando muitas outras que estavam perecendo neste mundo.
    Tenho que dar uma aula para uma classe de aproximadamente 15 jovens em minha igreja e não sabia exatamente por onde começar a falar sobre essa carta de Paulo a Filemon, agora sei.
    Muito bons ensinamentos recebi aqui nesse blog abençoado.
    Vou passar adiante com muita alegria no meu coração.
    Que o Senhor Jesus Cristo continue abençoando seu Ministério, sua família e toda obra de suas mãos; e cada vida que ler esses ensinamentos.

    Muito grato ao Pai.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Pastor, que explicação maravilhosa, senti a presença do Espírito Santo o tempo todo. Te amo em Cristo Jesus

    ResponderExcluir
  4. A graça e a paz do Senhor JESUS CRISTO seja contigo pastor,esse artigo foi uma verdadeira resposta de Deus pra minha vida,pois refleti nesse livro que nunca tinha lido e surpeendentimente aprendi claramente ao respeito dos principios cristão,que a igreja deve voltar a ter,que são a chave da comunhão e unidade do corpo de Cristo.
    O evangélho,o perdao, a rendenção isso que Jesus nos ensinou a praticar.
    Que Deus continue te usando como canal de bençãos na vida da eleita noiva de Cristo.Amém.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom ! Que Deus abençoe o Pastor!

    ResponderExcluir