quarta-feira, 29 de março de 2017

AS EVIDÊNCIAS DE UMA VIDA REALMENTE CONVERTIDA - Cl. 3:1-11

Infelizmente temos constatado que, com o meteórico crescimento da igreja evangélica brasileira, muitas pessoas sem a genuína conversão estão adentrando aos nossos arraiais.
Você crê que é um verdadeiro convertido? O que comprova que você, de fato, se converteu? Na Carta que escreveu aos Colossenses o apóstolo Paulo nos mostra que a verdadeira conversão está estritamente conectada com aquilo que nós fazemos, ou praticamos.
Paulo defende que deve haver uma estreita conexão entre aquilo que nós cremos e aquilo que nós praticamos. Não pode haver um abismo entre fé e prática; entre o discurso e a vida.

1- EVIDENCIAMOS A VERDADEIRA CONVERSÃO QUANDO BUSCAMOS MAIS AS COISAS DO CÉU DO QUE AS COISAS DA TERRA (Colossenses 3.1-4)
Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. 3.2 Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; 3.3 porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. 3.4 Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.

Na Cidade do Cairo, no Egito, há várias famílias que moram em cemitérios, são refugiados da 2ª Guerra. Há, inclusive, relatos até de crianças que nasceram em cemitérios; é possível estar vivo e ainda assim viver numa sepultura.
Paulo diz “se fostes ressuscitados juntamente com Cristo”...,  - na língua grega não há a expressão de dúvida. A ideia exata do texto é “UMA VEZ QUE FOSTES RESSUSCITADOS COM CRISTO”. Ou seja, a posição exaltada do Crente em Cristo não é algo hipotético, nem é algo pelo qual devemos nos esforçar, mas é uma condição adquirida, é um fato consumado. A bíblia é categórica ao afirmar que, DE FATO, TODO AQUELE  se converteu já se identificou com a MORTE, COM A VIDA, E COM A RESSURREIÇÃO DE CRISTO.
Em Gálatas 2.19,20, Paulo diz: “...Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim”. Já em Filipenses 1.21: “Porquanto, para mim, o viver é Cristo”. Aqui, aos Colossenses ele afirma “uma vez que fostes ressuscitados com Cristo,” ou seja, “agora que vocês recebem os benefícios”, ou seja, “o poder da ressurreição de Cristo” buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive... Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra. O verbo “buscar (zeteite) traduz a ideia de uma busca contínua, perseverante e investigativaé buscar com prioridade, buscar com foco com a intenção de encontrar, e o verbo “pensar” (phronein) trás uma ideia de inspiração e determinação.
Muitas vezes ouvimos pessoas dizerem “a música é minha vida; o esporte é tudo prá mim; fulano vive prá trabalhar...”. O cristão verdadeiro, não. Para o cristão as coisas de Cristo são a sua vida, pois, são as coisas eternas, ou seja, as coisas do alto que dominam o seu pensamento e preenchem a sua alma. Ele anela, ele tem saudades do céu...
Todo aquele que nasceu de novo possui essa marca, ele busca mais as glórias de Cristo do que as coisas deste mundo; ele aspira mais pelo reino do Céu do que pelas riquezas dessa terra. Os seus olhos estão postos naquela cidade cujo arquiteto e fundador é Deus. O céu é seu lar, sua origem, seu prazer, sua recompensa e seu destino.
Você é um verdadeiro convertido? Evidenciamos a Verdadeira Conversão Quando Buscamos Mais as Coisas do Céu do que as Coisas da Terra.
Mas, vejamos ainda, uma segunda evidência de uma vida realmente convertida:

2- EVIDENCIAMOS A VERDADEIRA CONVERSÃO QUANDO MORTIFICAMOS NOSSA NATUREZA TERRENA (Colossenses 3.5-9)
Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; 3.6 por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. 3.7 Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas. 3.8 Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar. 3.9 Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos

A expressão “fazer morrer” no grego é “nekrosate”, de onde vem o nosso termo em português “Necrotério”. A ideia de Paulo é que os crentes devem andar com uma “certidão de óbito” no bolso. Uma vez que morremos (v.3) devemos matar, ou, “fazer morrer” diariamente nossa natureza terrena. Toda vez que ela quiser dar “sinal de vida”, mostre a ela sua certidão de óbito espiritual. A bíblia diz em Romanos 6:11 “considerai-vos MORTOS PARA O PECADO”. É isso que Jesus quis dizer: “Se o teu olho direito o faz tropeçar, ARRANCA-O” (Mt. 5:29).
Paulo enumera 11 pecados que, didaticamente, os distribuí em 4 blocos. Esses pecados fazem a natureza humana resistir à sua morte; a natureza morta resiste e quer se mostrar muito viva:
2.1) PECADOS MORAIS, LIGADOS À SEXUALIDADE - São 3 pecados; Paulo diz: fazei pois, morrer vossa natureza terrena - Esta natureza terrena se manifesta por meio da: A) Prostituição (“pornéia”– de onde vem “pornografia”). B) Impureza (a idéia é de perversão, luxúria e libertinagem – a palavra traz a ideia de uma “chaga infectada”), C) Paixão Lasciva (força quase incontrolável, egoísta, violenta, agressiva, que não descansa até ser satisfeita) Lembro-me da experiência de um rapaz que pediu que o amarrássemos a uma cama, quando a “fissura” pela droga viesse – Há pessoas que são assim em relação à sexualidade, parecem uma “besta voraz”, um animal no cio.
 Jovens, atenção, em nome de Jesus, todos os dias o mundo tá dizendo: “satisfaça sua vontade, seja feliz...Mostrem a ele sua certidão de óbito em relação à natureza terrena. “Estou morto para essas coisas, em nome de Jesus!
2.2) PECADOS SOCIAIS – São pecados que nos levam a “desejar o que é do outro e o mal p/ o outro” (5) – Paulo lista 02 pecados: A) O Desejo MalignoJá viram Gente que quer matar, destruir, ver a desgraça, ver a derrota da família da outra? – B) A Avareza, que é Idolatria – Avareza é o “querer mais e mais, só para si, sem nunca se satisfazer” – O comentarista bíblico Ralph Martin diz que aqui está o pecado da “possessividade”; o desejo insaciável de colocar as mãos em tudo.
O texto bíblico esclarece que este pecado é idolatria, pois, é adoração ao ego, uma supervalorização do próprio eu; “é a devoção a um deus falso”. Provérbios 30.15, diz:  A sanguessuga tem duas filhas, a saber: Dá, Dá. Nos versículos 6 e 7 Paulo dá uma advertência: "por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas".
2.3) PECADOS LIGADOS AO TEMPERAMENTOPaulo lista 03 pecados: A) Ira (palavra ligada ao verbo “ferver”); é o temperamento explosivo, não controlado pelo Espírito.
É provável que você conheça gente que vive com “3 pedras na mão”; gente melindrosa, gente que nos força a medir bem as palavras para falar com ela.
Paulo lista também: B) Indignação (esta palavra traz a ideia de “continuidade”). Ou seja, é o indivíduo constantemente “mal humorado, chato, rancoroso, emburrado”).
Ainda há ainda um pecado: C)  Maldade – Já conviveram com um indivíduo maldoso em tudo que fala, pensa e diz? Geralmente dizemos: “gente que tem uma nuvem negra sobre a cabeça”; prá tudo ele vê o mal (esse pecado está ligado à inveja), é desconfiado com tudo e todos porque ele não é bem resolvido internamente. 
2.4) PECADOS LIGADOS AOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS E À LÍNGUA – Já viu gente que não dá certo com ninguém? Já vi muito “crente” assim; gente que precisa rever, precisa reavaliar se está demonstrando dia a dia as evidências de uma vida convertida; gente que precisa urgentemente “buscar o atestado de óbito” das coisas da carne, se é que realmente possui.
Paulo lista 03 pecados: A) Maledicência (“blasfemos”); é o indivíduo que vive falando mal da vida alheia. Vi, recentemente, um provérbio numa lameira de um caminhão, que dizia: “Deus nos deu uma vida para que cada um cuide da sua”. Esse é o pecado do espalhador de botos e contendas; o conhecido Fofoqueiro. B) Linguagem Obscena do Falar. Gente de “boca suja e porca”; que utiliza-se de linguagem abusiva, grosseira e vulgar, palavras de baixo teor, de baixo calão; utiliza-se constantemente de chocarrices, e de piadinhas imorais; e que só fala coisa que não presta...
Fechando esta segunda parte Paulo lista um quarto pecado: C) Mentira - 3.9 Não mintais uns aos outrosDeus abomina a mentira, o espalhador, inverdades; pois, o pai da mentira é o diabo (Jo 8:44).
Você é um verdadeiro convertido? Evidenciamos a Verdadeira Conversão Quando Mortificamos , diariamente, nossa Natureza Terrena.
Mas, Paulo, ainda apresenta-nos uma terceira evidência de alguém realmente convertido:

3- EVIDENCIAMOS A VERDADEIRA CONVERSÃO QUANDO REVESTIMO-NOS DE CRISTO (Colossenses 3.10,11)
e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; 3.11 no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos.

O verdadeiro convertido não somente (negativamente) se despe de algumas coisas ligadas à velha natureza, como também, efetivamente (positivamente) se reveste de uma nova natureza. Por meio desse “revestir”, desse novo procedimento, nos tornamos mais e mais  semelhante a Cristo. O verbo “revestir” aqui trás a ideia de continuidade, significando que a cada dia, a cada instante, a cada momento vamos mais e mais sendo renovados.
Paulo demonstra que esse “revestir diário, e contínuo, de Cristo” se faz de 03 maneiras:
3.1- REVESTIMO-NOS DE CRISTO POR MEIO DE UM CONHECIMENTO RELACIONAL COM O PRÓPRIO CRISTO (Colossenses 3.10)
e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento.
 Não é apenas ter informações intelectuais sobre Jesus, não é simplesmente ter informações sobre a pessoa e a obra de Cristo (o que não é ruim...); mas é muito mais que isso!
É um relacionamento pessoal, diário e prático com ele por meio da oração, e da leitura da palavra, da adoração no culto privativo, e coletivo.
3.2- REVESTIMO-NOS DE CRISTO POR MEIO DE DA TRANSFORMAÇÃO NOSSO CARÁTER À IMAGEM DE CRISTO (Colossenses 3.10)
“ segundo a imagem daquele que o criou”
A imagem de Deus em nós, que foi “poluída” por causa do pecado; e por meio de todas essas iniciativas faladas anteriormente ela começa a ser limpa. Isso acontece por meio de um processo contínuo, que só termina na glória. A esse processo damos o nome “santificação”. Santificação não é outra coisa, senão efetivamente, a cada dia, parecermo-nos mais e mais com Cristo.
Paulo diz que isso acontece também quando efetivamente algumas barreiras são quebradas:
3.3- REVESTIMO-NOS DE CRISTO POR MEIO DA QUEBRA DAS BARREIRAS QUE NOS SEPARAM E IMPEDEM-NOS DE USUFRUIRMOS DA GENUÍNA COMUNHÃO DO CORPO DE CRISTO (Colossenses  3.11)
no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos.
Em nossos dias temos ouvido muito sobre a necessidade da unidade; a unidade da igreja se manifesta, efetivamente, por meio da “koinonia”; a verdadeira comunhão do Corpo de Cristo.
Paulo lista 4 barreiras que devemos quebrar, bareiras estas que nos impedem de usufruirmos essa comunhão, e autenticarmos, evidenciarmos que somos verdadeiros cristãos:

 3.3.1- AS BARREIRAS RACIAIS PRECISAM SER QUEBRADAS PARA USUFRUIRMOS DA GENUÍNA COMUNHÃO DO CORPO DE CRISTO
“Em Cristo” “... não há grego nem judeu”
Cristo destruiu as barreiras do nacionalismo, isso é muito forte!! Nações que declaravam o ódio uma às outras dão as mãos, diante da mesa do senhor. Apocalipse 5.9: “e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação”.
3.3.2- AS BARREIRAS RELIGIOSAS PRECISAM SER QUEBRADAS PARA USUFRUIRMOS DA GENUÍNA COMUNHÃO DO CORPO DE CRISTO
Em Cristo” “... não há circuncisão nem incircuncisão”
As cerimônias e os ritos que nos separavam (Cl. 2.20-23) já não separam mais, pois, Cristo cumpriu em si tudo quanto era necessário.
 Você não precisa mais praticar “isso ou aquilo” (Paulo está falando dos rituais do Antigo Testamento) para se dizer “mais santo, mais puro, mais iluminado”...
3.3.3- AS BARREIRAS CULTURAIS PRECISAM SER QUEBRADAS PARA USUFRUIRMOS DA GENUÍNA COMUNHÃO DO CORPO DE CRISTO
Em Cristo” “... não há bárbaro, nem cita
Os gregos consideravam as pessoas “não gregas” como bárbaros, e, destes, os citas eram os bárbaros mais desprezados, eram a “ralé” dos bárbaros. Um historiador chamado Flávio Josefo diz que um cita era somente um pouco melhor do que os animais selvagens.
Cristo destruiu “a barreira da separação” (Ef. 2.14) e não podemos erguê-las mais; os crentes verdadeiramente convertidos também dão a “destra da comunhão” ao irmão mais humilde e dizem: “somos um em Cristo!” Aleluia!! “Eu não sou melhor que você!!
3.3.4- AS BARREIRAS SOCIAIS PRECISAM SER QUEBRADAS PARA USUFRUIRMOS DA GENUÍNA COMUNHÃO DO CORPO DE CRISTO BARREIRAS SOCIAIS
Em Cristo” “... não há escravo nem livre
Senhores e escravos participando da mesma igreja, assentados um do lado do outro?
Só no cristianismo é possível essa revolução social. Paulo diz ao senhor de escravos, Filemom (1.15-17), que este deveria receber o escravo fugitivo, Onésimo, “não mais como escravo, mas como irmão”: “Pois acredito que ele veio a ser afastado de ti Temporariamente, a fim de que o recebas para sempre, 1.16 não como escravo; antes, muito acima de escravo, como irmão caríssimo, especialmente de mim e, com maior razão, de ti, quer na carne, quer no Senhor. 1.17 Se, portanto, me consideras companheiro, recebe-o, como se fosse a mim mesmo. no Senhor”. Aleluia!!
E assim, Paulo diz: “porém Cristo é tudo em todos”. As barreiras são quebradas, e a glória de Cristo, visivelmente, manifesta-se em todo o nosso viver. Mas, este texto continua com uma infinidade de outras formas práticas de evidenciar a nossa conversão – Veja COLOSSENSES 3:12-4:3

CONCLUSÃO
Você é verdadeiramente um convertido? Você já foi ressuscitado com Cristo? Então, é isso que Deus espera de ti, meu, irmão.
Não é simplesmente levantar as mãos no culto, chorar, orar bonito, fazer longos discursos, mas como falamos no início – “a verdadeira conversão está estritamente conectado com aquilo que nós fazemos, ou praticamos; deve haver uma estreita conexão entre aquilo que nós cremos e aquilo que nós praticamos. Não pode haver um abismo entre fé e prática; entre  o discurso e a vida”.
A boa árvore é conhecida não pelas folhas, mas, pelo fruto que ela produz. E quanto à vida cristã isso é demonstrado quando 1) Quando Buscamos Mais as Coisas do Céu do que as Coisas da Terra. 2) Mortificamos Nossa Natureza Terrena. 3) Nos Revestimos de Cristo.
Que o nosso bom Deus lhes abençoe mais e mais. Que a cada dia, os não cristãos, vejam a evidência da conversão em vossas vidas, e assim, dêem gloria, ao nosso Pai que está nos céus.
Que assim seja, amém!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário