quinta-feira, 12 de maio de 2016

SEGURANÇA E ÂNIMO NO SERVIR: RESULTADOS DA GRAÇA DO PERDÃO

“... um dos serafins voou para mim ...” (Is. 6.6)

Após contemplar a glória de Deus (Is. 6.1) o profeta Isaías disse “Ai de mim! Estou perdido...;” no entanto, algo inusitado acontece; o texto diz que “... um dos serafins voou para mim...” (v.6); isso é maravilhoso!
Os  Serafins  (seres  angelicais)  estavam “por cima” do Senhor (Is. 6.1);  o Senhor estava no seu trono. Um dos serafins deslocou-se de onde estava (trono), e foi em direção a Isaías. Este movimento angelical refere-se à Graça de Deus, que, semelhante ao brilho do sol percorre o espaço e chega à terra. A Graça procedente do próprio Deus vem em direção ao homem; não fomos em direção a Deus, Ele veio em direção a nós.
O texto descreve que este serafim trouxe uma brasa vida do altar; o resultado foi (7) “com a brasa tocou a minha boca”. O comentarista bíblico Matthew Henry aplica a ideia de “brasa viva” como sendo a obra expiatória de Cristo que produz o perdão de pecados e segurança neste perdão. Queridos, nada é poderoso para limpar os pecados, consolar e fortalecer a alma, senão aquilo que é procedente da reparação feita por Cristo. É necessário que o pecado seja retirado para que falemos com confiança e intrepidez as sublimes verdades do evangelho.
É por isso que ainda há uma sublime verdade, consequencial do fato do serafim ter voado em direção a Isaías. O texto diz “depois disto” (8), ou seja, depois do pecado ter sido perdoado, que o próprio Senhor disse: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós?” Se eu for à sala onde do Culto Infantil e perguntar “Quem quer bala?”, todas as crianças gritarão com muito entusiasmo “Eu, Tio, eu quero!”. Isaías também disse “eis-me aqui, envia-me a mim” (Is. 6. 8)
Isaías respondeu ao Senhor, com grande alegria, ânimo e entusiasmo; seu pecado havia sido perdoado (veja o Salmo 51.7-13; 110.2). As promessas do Senhor são: “ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã” (Is. 1.18). Esta sólida segurança dispõe o profeta, que antes tinha impuros lábios, a proclamar a vontade do Deus triplamente Santo (Is. 6.3), pois, agora encontrava-se capacitado para proclamar as Palavras que vêm do Senhor.
O Senhor, em Cristo, desceu do céu e veio em direção a nós. Ele nos salvou, perdoou todos os nossos pecados (Cl. 2.13), e nos comissionou para proclamarmos “as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1ª Pe 2.9). A reação de Isaías deve ser a nossa reação diante do perdão que nos é concedido em Cristo Jesus. É provável que uma das razões da frieza e apatia de muitos crentes, no servir, e no testemunhar a Cristo, seja o desconhecimento daquilo que já foi feito, em Cristo, a seu favor. Deus, conscientiza-nos!!

Seminarista Arnon Barcellos Louzada (2ª parte do sermão pregado na IPCRNS — 02/2016)

Texto adaptado, sem autorização, pelo Rev. Valdemir O. dos Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário