segunda-feira, 29 de novembro de 2010

AS EVIDÊNCIAS DO GENUÍNO EVANGELHO - PARTE 3/3

Esta é a Terceira (e última) Parte do Sermão que preguei no Congresso da Federação de SAF`S (Sociedade Auxiliadora Feminina) do Presbitério do Caparaó na Igreja Presbiteriana de Irupi (ES) em 27/11/2010. Dividi em partes porque muitos irmão acham cansativo ler todo o texto do sermão de uma só vez.


Estou crucificado com Cristo; 20ª logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim (Gl. 2:19b,20)

3- O Genuíno Evangelho é Caracterizado pelo Fluir em Nós da Vida de Cristo
mas Cristo vive em mim
Falamos no início que um dos alvos dos propósitos do Senhor para com os seus servos é que os mesmos usufruam daquilo que é chamado de vida abundante, vida em plenitude; uma vida superlativa. Essa vida superlativa é exatamente isso que Paulo diz aqui com esta frase: Cristo vive em mim. Antes de prosseguirmos deixe-me dar uma pincelada com 3 Notas Exegéticas sobre o texto.
1º Nota exegética: Ao dizer: “estou crucificado com Cristo”, Paulo usa um tempo verbal chamado PERFEITO na língua grega. O perfeito nos diz de uma ação completa, realizada com sucesso. Ou seja, “estou crucificado MESMO, DE UMA VEZ POR TODAS. EU MORRI MESMO PARA A VELHA NATUREZA. Tome posse disso toda vez que o pecado "bater à porta".
Mas o TEMPO PERFEITO nos ensina ainda algo mais, que essa ação realizada no passado tem efeitos duradouros no presente. Ou seja: “eu morri (fui crucificado) ontem e continuo morrendo hoje”. É por isso que a versão da bíblia Corrigida (ARC) diz: fui crucificado. Ela remete mais ao passado sa ação. Já a versão bíblica atualizada (ARA) diz diz: estou crucificado. Ela já  nos remete mais ao presente. Ambas estão corretas, por causa do tempo grego perfeito. Uma ação do passado que tem efeitos contínuos no presente e no futuro. Fui crucificado e estou sendo diariamente crucificado e serei crucificado amanhã.
2ª Nota Exegética: Depois disso, Paulo, no segundo ponto, usa uma Conjunção Conclusiva: “Logo” já não vivo eu (ARA) – (“E” –ARC - NÃO VIVO EU). Esta conjunção conclusiva, trás a idéia da Conseqüência Natural; da naturalidade da crucificação do “Eu”. Ou seja, uma vez que eu fui crucificado, automaticamente o EU foi dominado. É natural, é conseqüente (logo já não vivo  - E não vivo eu). Quem vive cheio de si, dominado pelo eu, precisa rever sua vida cristã. Das duas uma: ou ele ainda não se conscientizou ou nunca foi salvo. Porque o "eu" é naturalmente dominado, uma vez que a minha velha natureza foi crucificada.
3ª Nota Exegética. Se no segundo ponto foi usado uma conjunção conclusiva, agora, no terceiro ponto, para o "fluir" da vida de Cristo como Evidência de um Genuíno Evangelho Paulo usa uma Conjunção Adversativa. Ele diz: “Vivo não eu” (ARC), ou “Já não sou eu quem vive” (ARA)”, “MAS”... Cristo vive em mim.
A conjunção MAS, é uma conjunção adversativa; é uma conjunção forte que tem sua força não necessariamente no que veio antes, mas no que vem à frente. Ou seja. É importante que o eu seja crucificado com Cristo, e é até natural que "eu não viva mais" (que o eu seja dominado). Mas, o mais preponderante é que Cristo vive em Mim. Aleluia!!
Nós usamos a conjunção adversativa no dia a dia, muitas vezes sem saber seu significado. Dizemos: “olha eu farei isso, MAS, que não se repita...” Por causa do MAS, a mensagem mais importante não é "eu farei isoo", mas, sim QUE ISSO NÃO SE REPITA. Entendeu?
Em outros momentos a bíblia mostra essa conjunção adversativa. Efésios 2: 1-5: “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.... 4- MAS, (NO VERSÍCULO "4" TUDO MUDA. E É ISSO DE FATO O QUE INTERESSA) MAS DEUS SENDO RICO EM MISERICÓRDIA, por causa do grande amor com que nos amou,e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, -pela graça sois salvos”. ALELUIA, É ISSO O QUE IMPORTA – TUDO COMEÇA COM UM MAS...
Porque isso é importante? Estamos dizendo que vivemos um dias de distorção do genuíno evangelho. O cristão em nossos dias é conhecido mais porque aquilo que ele não faz do que por aquilo que Cristo faz nele. Ser cristão é não fumar, é não beber, é não cortar o cabelo, é não dançar... Mas não é isso que é tão preponderante. Não é o que nós não fazemos mas, aquilo que Cristo faz em nós ou, através de nós. Vida abundante é o fluir da vida de Cristo em nós. Aleluia!!
Eis aqui, irmãos, a essência da vida cristã. Eis aqui o centro do propósito de Deus, eis aqui a porta de entrada para a vida em plenitude: nos abrirmos para que Cristo flua sua vida através de nós, pois, ele está em nós: CRISTO VIVE EM MIM.
Para Paulo, estar unido a Cristo, significava estar identificado intimamente com Cristo; é a vida de Cristo implantada em mim e fluindo através de mim. Aline Barros canta: Sonda-me senhor e me conhece quebranta o meu coração, transforma-me conforme tua palavra, e enche-me até em mim se ache só a ti, então usa-me, Senhor

CONCLUSÃO
TRÊS DESAFIOS PRÁTICOS PARA RESTAURAÇÃO DO GENUÍNO EVANGELHO:

A- Crucifique Diariamente a Velha Natureza
Conscientize-se daquilo que Cristo fez ao morrer na cruz. A morte dele foi a sua morte. Crucifique a velha natureza, os velhos hábitos as velhha manias todas as vezes que o pecado quiser se manifestar.
B- Domine o "Eu" e Cuidado com Suas Artimanhas
Enganoso é o coração e desesperadamente corrupto”. Há algum tempo um brasileiro de 46 anos deu um testemunho assombroso, publicado pela revista "Isto É": “Contraí o HIV em 1984, mas só descobri que era doente em 1996. (...) Eu passei Aids para muitas mulheres nas estradas, perdi a conta. Claro que sem saber. A vida na estrada é de muita solidão, mas sempre aparece uma moça para fazer programa, mulheres que pedem carona em troca de sexo. Em algumas viagens tive cinco mulheres de beira de estrada. Contraí a tal Aids em Santos, (...) com uma mulher que logo depois morreu disso. Continuei com mulheres pelas estradas, quase sempre na boléia do caminhão. (...) Me casei em 1990. Continuei a ter parceiras. (...) Em 1996 a minha esposa ficou grávida e descobriu que tinha o HIV. Resisti, mas fiz o exame: o médico falou que eu estava com o vírus há pelo menos 12 anos. Continuei (...) nas estradas sem camisinha. (...) Minha filha nasceu saudável, mas minha esposa morreu de Aids no Natal de 1998. (...). A família dela me tirou a criança. Dei para beber. Hoje faço parte do grupo católico Esperança e Vida, que acolhe portadores do vírus, e trabalho com prevenção. Deixa eu contar uma coisa: tenho uma outra filha, está com 24 anos. Há pouco tempo ela me telefonou avisando que ia casar. Pediu para eu não ir à festa. É difícil, moço, muito difícil falar de tudo isso sem chorar.” (Revista Isto É, 15.8.2001, p. 15)
Ouvimos esta narrativa e nos estarrecemos porque, porque ouvimos de lágrimas, mas não vemos nela uma confissão, uma confissão de erros, seguida de arrependimento. Ouvimos de lágrimas, de emoção, de comoção, mas não de genuíno arrependimento. Então, nos perguntamos: como uma pessoa pode ser tão egoísta? Toda sua vida se preocupou tão somente em satisfazer SEUS próprios desejos, SEUS próprios caprichos, achava que o mundo, e as pessoas deveriam sempre SATISFAZÊ-LO, destruiu vidas, por onde passou deixou um rastro de morte, foi AGENTE DE MORTE... e, mesmo os anos tendo passado, percebe-se que ele não mudou..., agora acha natural que a filha o convide ao seu casamento, como se nada tivesse acontecido...
C- Abra-se, Sem Reservas Para que a Vida de Cristo Flua sem Medidas na Sua Vida
Um grupo de vendedores foi participar de uma Convenção de Vendas. Todos tinham prometido às suas esposas que voltariam na sexta feira à noite, a tempo de jantar com elas. Como a Convenção acabou um pouco tarde, chegaram atrasados ao aeroporto. Entraram correndo pelos corredores para não perder o avião. De repente, sem querer, um deles esbarrou na mesa onde uma vendedora tinha uma cesta de maçãs. A cesta caiu no chão e as frutas saíram rodando por todas partes. Os vendedores entraram no avião quando as portas estavam começando a fechar-se. Todos menos um. Este deteve-se e respirou fundo, tocado por um forte sentimento de compaixão pela dona do posto de maçãs. - Por favor! - disse a um de seus companheiros - Quando chegar, explique à minha esposa que chegarei no próximo avião.
Voltou ao terminal e encontrou as maçãs espalhadas pelo chão. Ficou mais surpreso ainda, quando percebeu que a dona do posto era uma menina cega. Ela estava chorando, com enormes lágrimas descendo pelo seu rosto. Engatinhando pelo chão, tentava localizar as frutas, enquanto a multidão, correndo, passava sem parar, sem importar-se com a desgraça da pobre menina. O homem ajoelhou-se ao seu lado, juntou as maçãs, colocou-as na cesta e a ajudou a montar de novo seu posto. Ao mesmo tempo notou que algumas maças estavam machucadas pela queda e as separou colocando-as noutra cesta. Depois abriu a carteira e disse à menina: - Por favor, tome cem reais pelos estragos que lhe fizemos. Está bem? Ela, chorando assentiu com a cabeça. Ele continuou: - Espero não ter arruinado seu dia! Tchau!
Quando o vendedor se afastava, a menina gritou: - Senhor!!! O homem parou e se voltou para aqueles olhos cegos. Ela continuou: - O senhor é Jesus? Ele ficou ali, parado, olhando, sem saber o que fazer. Depois deu meia volta e se afastou, devagar, à procura do próximo vôo, com essa pergunta queimando-lhe o peito: - O senhor é Jesus?...
O verdadeiro evangelho é isso, irmão. Se parecer tanto Jesus, que as pessoas não possam distinguir a diferença.
O verdadeiro evangelho é evidenciado pelo fluir da vida de Cristo em nós. Se dissermos que vivenciamos o genuíno evangelho devemos expressar isso por meio de uma de uma vida que espalha o bom perfume de Cristo. Assim é o crente; onde ele chegar a glória de Deus chega com ele; onde ele estiver os rios de água viva dessedentam a sede; ele leva a vida pois é a vida de Cristo fluindo por meio dele.
Aí sim, a autoridade espiritual será restaurada... Os milagres, os prodígios... Aquele mesmo poder absoluto que ressuscitou a Cristo será liberado sobre sua vida... Você será inundado pelo oceano do amor de Deus... Você será capaz de suportar as aflições por amor a Cristo... por que a vida de Cristo flui, como rios de água viva sobre você e de dentro de você... Aleluia...
Eu vim aqui também, irmão orar por você, ministrar sobre a sua vida... Não sei como você está se sentindo, mas eu sei que Deus quer te abençoar nessa noite...

AS EVIDÊNCIAS DO GENUÍNO EVANGELHO - PARTE 2/3

Esta é a Segunda Parte do Sermão que preguei no Congressso da Federação de SAF`S (Sociedade Auxiliadora Feminina) do Presbitério do Caparaó na Igreja Presbiteriana de Irupi (ES) em 27/11/2010. Durante os próximos dias publicarei a terceira parte do sermão.


19b Estou crucificado com Cristo; 20ª logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim (Gl. 2:19,20)

2- O Genuíno Evangelho é Caracterizado pela "Desentronização" do “EU”
logo, já não sou EU quem vive - Gl. 2:20a

O "EU" aqui representa a vida do EGO. Paulo está afirmando que o "EU" precisa ser subjugado, dominado. O "EU" PRECISA SER RETIRADO DO TRONO.
Você já percebeu que nossa época é a extremamente marcada pelo egocentrismo? O programa de televisão chama-se “MAIS VOCÊ”. As mensagens que mais ouvimos são geralmente ligadas aos próprio interesses: “Você Merece ser Feliz”; “a Solução está dentro de Você” Campanha da Vitória Financeira. Em Belo Horizonte havia numa igreja neo-pentecostal a Campanha do Anjo forte que iria tirar o nome do SPC e Serasa... Seria cômico se não fosse trágico.
O Eu domina a nossa época. Daí, vemos homens e mulheres se matando nas academias de ginástica; é o culto ao corpo. Observe agora, com a chegada do verão, que os corpos precisam "estar em cima". É botox, é silicone, lifitin, correção de expressões, creme de todo tipo. É lipo-aspiração e a lista se torna cada vez mais extensa. E homens e mulheres cada vez mais vazios, as clínicas de psiquiatras, psicólogos e psico-terapeutas, cada vez mais cheias, mais apinhadas de gente doente e vazia...
Irmãos, eu me assombro, às vezes, com pessoas que mesmo depois de anos na igreja, servindo ao Senhor ainda não aprenderam acerca de primário princípio. Gente que acha que a igreja tem que girar ao redor dela. Gente que se acha o sol, o centro do sistema solar: "Não lembraram de mim no meu aniversário"...
Gente, eu não suporto gente com auto-piedade, autocomiseração; gente que vive o tempo todo "lambendo ferida": "O pastor não me visitou"... Outros, põem o dedo na "cara" do irmão e dizem: Você sabe com quem está falando? É triste ver pessoas que n]vão parar no Supremo Concílio (Assembléia Geral, o concílio "maior! da Igreja Presbiteriana do Brasil) para pedrirem retratação; na maioria da vezes são picuinhas: "Mancharam a minha honra. O que vão pensar de mim?"
O seu EU, irmão, "tá" mais adulto que nunca! Algo que sempre aprendi com Jesus: Nunca se defenda! Gente que é assim tem vivido um cristianismo deformado, um evangelho sintético, genérico, barato. Um "outro" evangelho, um evangelho anátema.
Por favor, não me tenha por moralista. O que transmito é o puro evangelho nessa noite. Abra o seu coração; eu oro para que o Espírito provoque mudança real em nosso ser. Mas gente quantas pessoas que se dizem crentes e se irritam com tudo e com todos. Não têm paciência, não andam uma milha a mais. Dizem: "dou um boi para não entrar numa briga; uma boiada para não sair dela"... Isso é do diabo, irmão!
Gente que se altera com pouca coisa... A velha natureza não morreu, o eu ta mais vivo que nunca. Gente que diz: "eu não levo desaforo pra cada, eu não engulo sapo... Se é crente genuíno vai engolir sapo, sim... Sapo boi, e seco, sem água e sem se açúcar; vai pra casa com a cara baixa. A igreja ta cheia de gente que toca o terror e depois se fecha pelos cantos fazendo pirraça, fazendo "biquinho", dizendo-se humilhada, ofendida. O diabo não precisa fazer nada pois ela mesma, com as próprias mãos, já está destruindo tudo... A bíblia diz que "a mulher sábia edifica a casa, mas a tola, a destrói com as próprias mãos". E enquanto isso o diabo fica aplaudindo e sorrindo: "parabéns, continuem assim. Destrói sua SAF, faz isso mesmo..."
Não sou eu quem vive! Essa declaração de Paulo corta pela raiz todo nosso orgulho, toda a nossa dependência de nosso próprio intelecto, de nosso orgulho para nossas próprias habilidades; nossos desejos naturais, nossa sede pelo sucesso, nossa reputação, nosso planos.
Recorde-se que a primeira tentação de Cristo foi "satisfaça os seus desejos legítimos"... Transforme essas pedras em pães você está com fome, você merece ser feliz. Quantos irmãos acham que se ele sair da igreja, ela não anda mais. A SAF pára. Irmão, o Reino de Deus é muito maior que você. Leia 1ª Co. 1:26-2:5. Aleluia!!
Certa vez não fiz um teste com a igreja. Propositadamente não eleogiei um ótimo trabalho que a igreja havia realizado. Os irmãos ficavam jogando piadainhas, estimulando-me a elogiá-los: "foi uma bênção, né, pastor... Os líderes diziam: "elogia as pessoas pastor"...
Cuidado com o EU, irmão, ele quer roubar a glória de Deus, ele é como uma esponja, vai fazer todo o possível para sugar e sugar. A bíblia diz: quer vive após mim? a si mesmo se negue... Dr. Andrew Murray disse certa vez: ninguém aprende o que é verdadeiramente a vida cristã até que aprenda a morrer para tudo aquilo que é meramente humano. Até que o eu seja desentronizado.
Fique atento: todas as propostas da nossa presente era, inclusive boa parte de nossas pregações evangélicas, são para o nosso EU. São para que ele viva cada vez mais forte. O lema de nossa época é: EU posso; EU quero, EU tenho, , EU preciso! EU, EU, EU.
Mas, o lema de Jesus é: A si mesmo se negue. E o lema de Paulo é: Já não sou EU QUEM VIVE. O eu precisa ser desentronizado, dominado. Crucifique o esse EU ORGULHOSO, MENTIROSO, EGOCÊNTRICO. Deus nunca disse para sermos os arquitetos de nossa própria existência. Antes, como disse João Batista: "que ele cresça e eu diminua".
Se você quer viver o autêntico evangelho, volte à simplicidade, volte ao começo, volte ao foco. Volte ao ponto zero. Crucifique a velha natureza. Domine o EU. Alguém já disse que só posso ser cheio de Deus quando eu for vazio de mim mesmo.

Continua...

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

AS EVIDÊNCIAS DO GENUÍNO EVANGELHO - PARTE 1/3

Esta é a Primeira Parte do Sermão que pregarei no Congressso da Federação de SAF`S (Sociedade Auxiliadora Feminina) do Presbitério do Caparaó na Igreja Presbiteriana de Irupi (ES) em 27/11/2010. Durante os próximos dias publicarei as outras duas partes do sermão.

19b Estou crucificado com Cristo; 20ª logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim (Gl. 2:19,20)

Durante os últimos 3 meses em nossa igreja estamos estudando sobre um tema: Vivenciando os Propósitos do Senhor. O nosso Deus é um Deus de Propósitos, de objetivos claros específicos. E um dos propósitos do Senhor para com os seus servos é que os mesmos usufruam daquilo que é chamado de "vida abundante, vida em plenitude"; uma vida superlativa. Uma olhada superficial no quadro evangélico de nosso país nos últimos 20 anos nos dá a impressão de que mais do que nunca os crentes estão começando a viver esse paradigma de vida. No entanto, meus irmãos, quanto mais eu faço uma leitura um pouco mais cuidadosa daquilo que tem acontecido em nosso país em termos de avanço evangélico mais eu passo a concordar com um grade pregador no passado que disse que os evangélicos do Brasil, de uma maneira geral se assemelham a um “grande e largo rio, porém com muito pouca profundidade”.
A cada dia que passo estou mais e mais convencido de que estamos vivendo na verdade uma caricatura, uma distorção do genuíno evangelho. Paulo nos fala aqui mesmo nesta carta aos Gálatas (1:8,9) de um outro evangelho: “ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema”.
Há poucos dias fui a uma festa de aniversário de uma das crianças de nossa igreja e me veio à mente que o tipo de evangelho que temos visto no Brasil é evangelho Algodão Doce. Algo que é açucarado; não custa caro, que atrai crianças e idosos, mas que não provoca mudanças concretas, aferíveis, substanciais; de dentro para fora. Na comparação que Jesus faz, o Reino de Deus se assemelha ao fermentto introduzido na massa (Mt. 13:33), que, a despeito de sua pouca quantidade, leveda, transforma toda a massa "de dentro para fora". Já o "nosso" evangelho não satisfaz as exigências nem de Deus e nem dos homens, os quais estão mais sedentos, mais necessitados do que nunca; cada vez mais apinhando os consultório de psicólogos, psiquiatras e psicoterapeuas. Fazer o que, né? É o evangelho algodoão doce; um evangelho que, quando se espreme com as mãos, pouco resta a não ser um punhadinho de açúcar.
O que temos ouvido em boa parte dos púlpitos são sermões e mensagens vazias, humanistas, mensagens de auto-ajuda e não uma genuína exposição bíblica. Na verdade o povo sequer está preparado para uma exposição bíblica séria. Dá comichão mos ouvidos. Temos ouvido muita gritaria e percebido muito pouco poder. Temos visto muita histeria mas, muito pouca transformação de vida.
Daí a importância do tema que nossa SAF (Sociedade Auxiliadora Feminina) para este quadriênio ser extremamente pertinente: Já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim.
Meus irmãos o texto de Gálatas 2:19,20 nos conduz de novo à essência do genuíno evangelho, o evanglho não falsificado, puro, não misturado. Nestas breves palavras o apóstolo Paulo resume 3 características que evidenciam o genuíno evangelho. Vejamos quais são:

1- O Genuíno Evangelho é Caracterizado pela Crucificação (Morte) da Velha Natureza (Adão)
19b Estou crucificado com Cristo
Qualquer judeu e qualquer romano sabia muito bem o que era uma crucificação. Jesus não foi o primeiro, nem o último a ser crucificado. Tão horrenda era a crucificação que um cidadão romano por pior que fosse não poderia morrer deste tipo de morte; os romanos utilizavam esse tipo de castigo aos seus piores inimigos com fim de expô-los à vexação, ignomínia, à vergonha, à humilhação. Quando alguém colocava uma cruz sobre os ombros e cruzava as ruas, todos sabiam que ali ia alguém para um caminho sem volta, sem retorno; essa pessoa havia perdido o direito de existir. Os sofrimentos eram terríveis; às vezes a pessoa passava dias agonizando pregado na cruz e apodrecendo aos poucos. Os olhos eram primeiras partes eram que eram comidas pelos pássaros (corvos); depois vinham cães e feras. Quando a pessoa resistia mais de 8 dias, com uma marreta emigalhavam  as pernas e os joelhos do crucificado para apressar a morte.
Paulo diz “estou crucificado com Cristo”. Meus irmãos, o evangelho são as boas novas de salvação. Mas a manifestação da nova vida tem sua origem na morte. E o tempo verbal na língua grega (perfeito) do trás a idéia de "fui crucificado de uma vez por todas". Morri; é um caminho sem volta. Não há manifestação do “novo” sem a morte do “velho”.
O Genuíno Evangelho é Caracterizado pela Crucificação (pela Morte) da Velha Natureza em Adão. Significa que estou definitivamente, completamente morto para o poder, para a subserviência ao pecado, para velha natureza. Paulo diz que quando Cristo morreu ali na cruz, nós também morremos com ele. Identificamo-nos com a sua morte. Na verdade Paulo vai até mais além; ele diz em Romanos 6:4 que fomos “sepultados com ele na morte pelo batismo”. Aos Coríntios (2 Co. 5:17), ele diz "se alguém está em Cristo é nova criatura; as coisas antigas JÁ passaram"... É um rompimento definitivo com tudo aquilo que nos ligava à Adão, à velha natureza.
O genuíno Evangelho tem seu nascedouro na morte. Meus irmãos, não me tenham por moralista, por santarrão ou por fariseu; o que estou falando é que o genuíno evangelho não é isso que temos ouvido ultimamente em muitos dos nossos púlpitos. Mas também (talvez ate por conseqüência), o genuíno evangelho não é o que temos observado no comportamento de muitos crentes ultimamente. Não ouvimos de um evangelho de renúncia: quer vir após mim? tome a sua cruz.
O genuíno evangelho é a assimilação da cruz. Mas, o que tem de gente envolvida com prostituição pela internet (ou infernet?!)... O que vemos de banalização do sagrado (há poucos dias aqui em Itaipava teve a “Cristoteca” – meu Deus o que, que é isso??). O Brasil ficou estarrecido quando vimos alguém que se dizia evangélico participando de extorsão/corrupção e fazendo oração por seu companheiro de corrupção. O que tem de jovens que se casam tendo vida sexual ativa e outras já grávidas; e a quantidade de rapazes que estão envolvidos com as drogas? Eu me assustei com o número de gente que não se casa em nossa região... simplismente resolvem "morar junto...". Hoje em dia se fala mais em "ficar", e já criaram o tal do "manorido". Assustei-me com o número de meninas que completam 14 anos e os pais já permitem ter vida sexual ativa; estas já querem se "ajuntar" com qualquer um... O que, que é isso, gente? Preguei duramente contra essas coisas e me "pediram", que me calasse, a igreja podia esvaziar...  tinha gente que não estava gostando....
O que tem de gente fofoqueira, intriguenta, espalhadora de boatos, de contendas, crente enrolado (gente que só paga as contas de água atrasada). Gente que promete e não cumpre... meu Deus...
Eu estou crucificado. Significa que estou morto. O genuíno evangelho nasce com a morte para essas coisas. Morto para esse mundo, morto para o pecado. Paulo nos diz em Romanos 6:6: “sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos”. Romanos 6:10,11: “Pois, quanto a ter morrido, de uma vez para sempre morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus; assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus ”. Romanos 8:10: “Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado” .
Posso viver na contramão da história; não tenho necessidades de me adequar a algum sistema de valores mundanos; não tenho mais vergonha; a cruz já me fez vencer toda humilhação; estou morto com Cristo. O caminho da morte é um caminho sem volta!
CONTINUA...

terça-feira, 23 de novembro de 2010

35 RAZÕES PARA NÃO PECAR

1 – Porque um pequeno pecado leva a mais pecados.
2 – Porque o meu pecado evoca a disciplina de Deus.
3 – Porque o tempo gasto no pecado é desperdiçado para sempre.
4 – Porque o meu pecado nunca agrada a Deus; pelo contrário, sempre O entristece.
5 – Porque o meu pecado coloca um fardo imenso sobre os meus líderes espirituais.
6 – Porque, no devido tempo, o meu pecado produz tristeza em meu coração.
7 – Porque estou fazendo o que não devo fazer.
8 – Porque o meu pecado sempre me torna menor do que eu poderia ser.
9 – Porque os outros, incluindo a minha família, sofrem conseqüências por causa do meu pecado.
10 – Porque o meu pecado entristece os santos.
11 – Porque o meu pecado causa regozijo nos inimigos de Deus.
12 – Porque o meu pecado me engana, fazendo-me acreditar que ganhei, quando, na realidade, eu perdi.
13 – Porque o pecado pode impedir que eu me qualifique para a liderança espiritual.
14 – Porque os supostos benefícios de meu pecado nunca superam as conseqüências da desobediência.
15 – Porque o arrepender-me do meu pecado é um processo doloroso, mas eu tenho de arrepender-me.
16 – Porque o pecado é um prazer momentâneo em troca de uma perda eterna.
17 – Porque o meu pecado pode influenciar outros a pecar.
18 – Porque o meu pecado pode impedir que outros conheçam a Cristo.
19 – Porque o pecado menospreza a cruz, sobre a qual Cristo morreu com o objetivo específico de remover o meu pecado.
20 – Porque é impossível pecar e seguir o Espírito Santo, ao mesmo tempo.
21 – Porque Deus escolheu não ouvir as orações daqueles que cedem ao pecado.
22 – Porque o pecado rouba a minha reputação e destrói o meu testemunho.
23 – Porque outros, mais sinceros do que eu, são prejudicados por causa do meu pecado.
24 – Porque todos os habitantes do céu e do inferno testemunharão sobre a tolice deste pecado.
25 – Porque a culpa e o pecado podem afligir minha mente e causar danos ao meu corpo.
26 – Porque o pecado misturado com a adoração torna insípidas as coisas de Deus.
27 – Porque o sofrer por causa do pecado não tem alegria nem recompensa, ao passo que sofrer por causa da justiça tem ambas as coisas.
28 – Porque o meu pecado constitui adultério com o mundo.
29 – Porque, embora perdoado, eu contemplarei novamente o pecado no Tribunal do Juízo, onde a perda e o ganho das recompensas eternas serão aplicados.
30 – Porque eu nunca sei por antecipação quão severa poderá ser a disciplina para o meu pecado.
31 – Porque o meu pecado pode indicar que ainda estou na condição de uma pessoa perdida.
32 – Porque pecar significa não amar a Cristo.
33 – Porque minha indisposição em rejeitar este pecado lhe dá autoridade sobre mim, mais do que estou disposto a acreditar.
34 – Porque o pecado glorifica a Deus somente quando Ele o julga e o transforma em uma coisa útil; nunca porque o pecado é digno em si mesmo.
35 – Porque eu prometi a Deus que Ele seria o Senhor de minha vida.

             Renuncie "seus direitos"
             Rejeite o pecado
             Renove sua mente
             Confie em Deus

Pr. Jim Elliff

sábado, 20 de novembro de 2010

POR QUE CREIO EM DEUS?

"Diz o néscio no seu coração: Não há Deus. Corromperam-se e cometeram abominável iniquidade; não há quem faça o bem " (Salmo 53:1).
Afinal, Deus existe ou não? Esta pergunta obscurece todas as outras que a humanidade possa fazer. Se você acha que esta declaração seria de um teólogo ou de um pregador, então veja a frase encontrada em The Great Ideas Syntopicon (Temário de Grandes Idéias), um guia de estudos decisivo para a série Great Books, uma notável coleção da maior parte da sabedoria do mundo ocidental, combinada desde os tempos de Tales até o presente. Mortimer Adler declara: "Com exceção de certos matemáticos e físicos, todos os autores de Great Books estão representados no capítulo que fala sobre Deus". A razão é óbvia. Existem mais conseqüências no terreno do pensamento e da ação na afirmação ou na negação de Deus do que em se responder a qualquer outra pergunta, por fundamental que seja.
A vida do homem em sua inteireza é afetada pelo fato de o homem se considerar o ser supremo do universo ou reconhecer que existe um ser supra-humano que é objeto de seu amor ou seu medo, uma força a ser desafiada ou um Senhor a ser obedecido. Neste nosso tempo, em que o ateísmo militante está em marcha, espalhando-se como um micróbio mortífero através do mundo, temos que considerar o significado desta pergunta e as evidências da existência de Deus.
Talvez uma das idéias mais comuns na mente da maioria dos sofisticados americanos é de que a ciência refutou a existência de Deus, ou como Julian Huxley disse, eles reduziram Deus "simplesmente a um evanescente sorriso do gato no conto Alice no País das Maravilhas." Mas a ciência destruiu a crença na existência de Deus? No seu livro “Deus, o Átomo e o Universo”, James Reid declara: "A ciência está preparando uma surpresa para a humanidade! Pelo menos será uma surpresa para aqueles que têm dúvidas sobre a Bíblia e sobre o Deus da Bíblia. Virá também essa surpresa para aqueles que se submetem à idéia errônea de que a ciência diminuiu o valor da Bíblia. Na realidade, poderá até chocar alguns cientistas, que podem ficar assombrados ao descobrir que um fato novo revelado ou uma teoria aceita por eles provê mais um elo na cadeia de evidências que mostram que os fatos do universo sustentam as declarações bíblicas — inclusive a criação." Esse autor diz mais, que durante anos, como homem de ciência, tinha procurado descobrir apoio na Bíblia para a física clássica, a física newtoniana, e não o tinha encontrado.
Ao chegarmos ao século vinte, a antiga física clássica deu lugar à física quântica, à teoria atômica, e um conceito completamente novo sobre o universo veio à tona. Quando a teoria da relatividade de Einstein revelou a íntima relação entre massa e energia, ele repentinamente observou que as novas descobertas da ciência estavam estabelecendo os ensinamentos das Escrituras. Os fatos do universo estão sendo progressivamente apoiados pelas descobertas científicas e as conseqüências disso são incalculáveis.
Vivemos dias quando é muito popular a idéia de que não existe um Deus diante de quem o homem é responsável. Eu creio que esse pensamento é a causa da enorme incidência do crime, assassinatos, estupros, roubos e todos os males imagináveis encontrados na nossa sociedade hoje.
Eu já ouvi dezenas de homens, que supostamente deveriam ter algum conhecimento do assunto, discutirem uma grande variedade de remédios para a situação, e fico surpreso de sua incrível cegueira. Eles parecem não reconhecer que a agressiva negação do Deus da Bíblia é a causa de se tornarem os homens cada vez mais animalescos. Ensine-se aos homens que eles são animais e com o passar do tempo eles vão agir como animais.
E. L. Woodward, professor de História Moderna na Universidade de Oxford, afirma o seguinte: "Os valores de nossa herança ocidental, a justiça, a misericórdia, a bondade, a tolerância, a abnegação, são incompatíveis com o materialismo...", entendendo-se o materialismo como uma visão do universo de que não existe nada mais que a matéria — nada de alma, espírito — Deus não existe. "Se posso tomar emprestada uma frase bem conhecida sobre o Estado (que por sua vez ele toma emprestada de Marx), esses valores murcharão numa cultura materialista." Esse professor diz mais que "não faz sentido falar de direitos do homem numa sociedade materialista: é como se alguém fizesse um apelo ao Oceano Atlântico."
Por acaso os cientistas provaram que Deus não existe? Não existe nenhum ramo da ciência que examine maior porção da obra de Deus do que os astrônomos. Assim diz a Escritura: "Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos" (Sl. 19:1). "Pois os seus atributos invisíveis... são claramente vistos desde a criação do mundo" (Rm. 1:20). Noventa por cento dos astrônomos de nossos dias acreditam em Deus! Aqueles que examinaram mais profundamente as obras das mãos de Deus acreditam nele. Essa percentagem é maior entre os astrônomos do que entre açougueiros ou fabricantes de candelabros. Aqueles que têm olhado com mais assiduidade para a obra da criação e observam as maiores distâncias que o homem já alcançou concluíram que a mão que fez tudo isso é divina.
Pierre Simon de La Place, um dos maiores dos nossos astrônomos, disse que a prova a favor de um Deus inteligente como o autor da criação está como o infinito contra um, considerando-se qualquer outra hipótese de causação final; que é infinitamente mais provável que um conjunto de escritos lançados a esmo sobre o papel produzisse a Ilíada de Homero, do que o universo ter uma outra causa além de Deus. Esta evidência a favor de Deus em oposição às evidências que se apresentam contra ele como Criador do universo é como o infinito diante da unidade; não dá nem para se medir.
Há muitos e diferentes argumentos a favor da existência de Deus. Um desses é conhecido como argumento cosmológico. Embora Kant e Hume tenham atacado vários argumentos clássicos a favor da existência de Deus, eles o fizeram sem evidências adequadas, sem suficientes provas para refutá-los. Considerando-se que as provas teístas não são matemáticas (são na realidade argumentos de esmagadora probabilidade), esses argumentos mesmo assim permanecem, e nossa mente ainda reconhece neles evidências do Divino Criador.
Sir James Jeans, um dos maiores astrônomos modernos, disse que quanto mais ele examinava as vastas expansões do espaço e a tremenda complexidade dessas coisas, mais o universo lhe parecia um gigantesco pensamento de um grande matemático.
O argumento cosmológico vem do termo cosmos, que significa o universo, e é desse termo que obtemos nossa palavra cosmética. Significa algo que está bem ordenado e belo. E existe tanta coisa que evidencia ordem, que seria impossível fazer uma lista de todas elas. A física quântica já demonstrou que, a nível de partículas sub-atômicas, existe um impulso irresistível por parte dos elétrons para a simetria e que há um admirável aspecto "cosmético", isto é, de beleza do universo. Um autor disse que a natureza é um grande arquiteto, dando a entender que a natureza é Deus. E é também grande astrônomo, grande químico, fisiologista, psicólogo e matemático, demonstrando um incrível conhecimento dos fatos das várias ciências da humanidade, as quais dizem exatamente a mesma coisa.
Existe também o argumento teleológico. A palavra grega teleíos significa fim, finalidade; teleologia é aquele conceito filosófico que observa que no universo as coisas foram preparadas com um determinado propósito, para uma finalidade. Os ateus e evolucionistas (eles são quase invariavelmente os mesmos) detestam as palavras, propósito e teleologia, porque eles acreditam que o mundo não tem propósito. Eles acreditam que é tudo é um acidente gigantesco, simplesmente uma arrumação de átomos que aconteceu se juntarem por acaso.
Embora as pessoas possam dizer que as coisas existam de uma forma incrivelmente complexa e que isso é a única razão por que estamos aqui, é difícil para a mente humana desconsiderar a fantástica quantidade de evidências de que alguém tem estado a providenciar nosso bem-estar.
Consideremos a massa e o tamanho do planeta em que fomos colocados. São o tamanho e massa exatamente certos. O Dr. Wallace diz que se a terra fosse dez por cento maior ou dez por cento menor, a vida seria impossível sobre a face da terra. Além disso, também a distância do sol é a distância certa, pois é por isso que recebemos a quantidade certa de luz e de calor. Se estivéssemos mais afastados iríamos congelar-nos e se estivéssemos mais perto (como Vênus ou Mercúrio) não sobreviveríamos.
Consideremos a inclinação do eixo da terra. Nenhum outro planeta tem seu eixo inclinado assim — 23 graus. Esse ângulo dá condições para que todas as partes da terra sejam lentamente atingidas pelos raios solares, como um frango que está sendo assado numa churrasqueira. Se não houvesse essa inclinação no eixo terrestre os pólos acumulariam uma imensa massa de gelo e as partes centrais, expostas continuamente ao sol, seriam quentes demais.
Outro aspecto surpreendente do nosso relacionamento no sistema solar é a existência da lua. Muitas pessoas não reconhecem o fato de que sem a lua seria impossível viver neste planeta. Se alguém conseguisse arrancar a lua de sua órbita, toda a vida cessaria em nosso planeta. Deus nos deu a lua como uma criada para limpar o oceano e as praias de todos os continentes. Sem as marés originadas por causa da lua, todas as baías e praias se tornariam em poços fétidos de lixo e seria impossível viver perto delas. Devido às marés, ondas contínuas se quebram sobre as praias, promovendo a aeração dos oceanos da terra, provendo de oxigênio as águas para a sobrevivência do plâncton, que é a base da cadeia de alimentos do mundo. Sem o plâncton não haveria oxigênio e o homem não poderia viver sobre a face da terra. Deus fez a lua do tamanho certo e a colocou à distância exata da terra para realizar essas outras numerosas funções.
Existe também a maravilha da atmosfera terrestre. Vivemos sob um imenso oceano de ar — 78 por cento de nitrogênio, 21 por cento de oxigênio e mais 1 por cento constituído de quase uma dúzia de outros elementos. Os estudos espectrográficos de outros planetas dos sistemas estelares do universo demonstram que não existe outra atmosfera, nenhuma parte do universo conhecido que seja feita desses mesmos ingredientes, nada com uma composição parecida. Esses elementos não estão combinados quimicamente, mas são misturados mecanicamente de modo contínuo, pelo efeito tipo maré causado pela movimentação da lua. É o mesmo efeito causadoras águas dos mares e quase sempre a mesma quantidade de oxigênio.
Embora o homem descarregue uma tremenda quantidade de dióxido de carbono na atmosfera, isso é absorvido pelos oceanos e o homem pode assim continuar vivendo neste planeta. Se a atmosfera não fosse tão espessa ou alta como ela é, nós seríamos esmagados pelos bilhões de pedaços do lixo cósmico e de meteoritos que caem continuamente sobre nosso planeta.
Consideremos também o fantástico ciclo do nitrogênio. O nitrogênio é um elemento extremamente inerte — se não fosse, nós seríamos todos envenenados por diversos compostos de nitrogênio. No entanto, por ser ele inerte, é impossível combiná-lo naturalmente com outros elementos. O nitrogênio é de vital importância para as plantas sobre a terra. Como é que Deus faz para transferir o nitrogênio do ar para o solo? Ele usa os relâmpagos! Cerca de cem mil raios ferem o solo diariamente, criando anualmente cem milhões de toneladas de nitrogênio útil como alimento das plantas.
A 60 quilômetros de altura existe uma camada fina do ozônio. Se essa camada fosse comprimida, seria reduzida a uns seis milímetros de espessura, e no entanto sem ela não haveria vida sobre a face da terra. Oito tipos de raios mortíferos caem sobre a terra continuamente, provenientes do sol; sem essa camada de ozônio, nós seríamos queimados, ficaríamos cegos, seríamos torrados em um ou dois dias. Os raios ultravioletas são de duas qualidades: os raios mais longos, que são letais, são rechaçados, e os raios mais curtos, que são necessários à vida na terra, são admitidos pela capa de ozônio. E além disso, a camada de ozônio permite a passagem do mais mortífero dos raios, mas em quantidade mínima, apenas o suficiente para matar as algas verdes, que de outra forma cresceriam e encheriam os lagos, rios e oceanos do mundo.
Quão pouco reconhecemos o que Deus está continuamente fazendo para nos prover a existência. Podemos ver que vivemos sob a cobertura de uma fina camada de ozônio que nos protege de um bombardeio de raios que não vemos, mas que constantemente caem sobre nossas cabeças. Debaixo de nossos pés existe uma fina crosta de rocha, mais fina que a casca da maçã, comparativamente. Sob essa camada está a lava derretida que forma o núcleo do nosso planeta. Assim é que o homem vive entre os ardentes e enegrecedores raios em cima a lava derretida embaixo; qualquer um dos dois seria capaz de torrá-lo. Mesmo assim o homem vive totalmente alheio ao fato de que Deus arranjou as coisas de modo a ser possível ao homem viver neste mundo.
Temos também a maravilha da água. Em lugar nenhum no universo, encontramos água em quantidade, como encontramos na terra. Água, o elemento deslumbrante solvente, dissolve quase tudo sobre a face da terra, menos aquelas coisas que sustentam a vida. Esse líquido maravilhoso existe como gelo, quebra rochas e produz solo. Sob a forma de neve, a água armazena-se nos vales. Como chuva, molha e limpa a terra. Como vapor, fornece umidade para a maioria das terras aráveis. Ela existe como uma cobertura para a terra, na quantidade exata.
Se tivéssemos nuvens como Vênus, a terra não poderia existir. Mas nós temos invariavelmente 50 por cento da superfície da terra coberta por nuvens em qualquer momento, o que nos permite receber a quantidade certa de luz solar. Como vapor, a água movimenta poderoso maquinário que existe no planeta. Além do bismuto, é o único líquido que é mais pesado a 4ºC do que quando está congelado. E se não fosse assim, não haveria vida sobre a terra, pois congelada ela é mais leve e flutua. Se não fosse assim, os lagos e rios se congelariam de baixo para cima, matando todos os peixes. As algas seriam destruídas e nossa fonte de oxigênio cessaria — a humanidade morreria.
Até mesmo a poeira tem uma incrível função em favor da humanidade. Se não fosse a poeira, jamais veríamos um céu azul. A 27 quilômetros de altura não há mais poeira da terra e o céu é sempre negro. Se não fosse a poeira, não haveria chuva nunca. Uma gota de chuva é feita de 8 milhões de minúsculas gotículas e cada uma dessas 8 milhões de gotículas envolve uma ínfima partícula de pó. Sem elas o mundo ressecaria e a vida cessaria.
Nos seres humanos há muitas coisas que nos dizem que fomos criados por Deus. Nossa vida se baseia no sangue que corre em nossas veias. O maravilhoso glóbulo vermelho, criado na medula óssea, desprende o seu núcleo quando atinge a corrente sanguínea. Para qualquer outra célula isso significaria a morte, algo como retirar o coração do homem. O glóbulo vermelho tem a forma semelhante a um pneu, ou a uma rosquinha, com uma tênue membrana a atravessar-lhe o vão interno. Sem seu núcleo ele é capaz de carregar mais oxigênio para o corpo, devido a essa membrana e à sua forma. Se ele tivesse a forma das demais células, seria necessária uma quantidade nove vezes maior para prover oxigênio para o corpo humano.
Temos a maravilha das maravilhas: o olho humano! Como pode alguém observar o olho humano e admitir que ele surgiu por acaso? Os evolucionistas nos dizem que onde houver uma necessidade a natureza vai providenciar o que é necessário. Você pode imaginar que nós precisávamos da visão? Ninguém nunca tinha visto nada, mas havia necessidade de se ver alguma coisa. Então a natureza criou o olho. Imagine, criou dois olhos no plano horizontal, de tal modo que não apenas podemos ver, mas temos também um telêmetro que determina as distâncias.
Você já imaginou o que acontece com suas lágrimas que continuamente fluem pelo seu olho? O Dr. William Paley escreveu uma obra clássica intitulada Teologia Natural, na qual ele discute o olho. "A fim de conservar o olho umedecido e limpo — qualidades necessárias ao seu brilho e para sua utilização — ele é lavado constantemente por meio de uma secreção destinada a esse fim; e a salmoura excedente é levada para o nariz, através de uma perfuração no osso, da grossura de uma pena de ganso. Quando a secreção chega ao nariz, ela se espalha sobre a superfície interna da cavidade nasal e é evaporada pela passagem do ar quente que o curso da respiração lança continuamente sobre ela... É fácil perceber-se que o olho deve precisar de umidade; mas poderia essa necessidade do olho gerar a glândula que produz a lágrima, ou cavar o orifício por onde ela é descarregada — um buraco no osso?”
Que o ateu ou o evolucionista nos diga quem cavou o buraco no osso e colocou ali o encanamento para a dispersão de nossas lágrimas. Sir Charles Scott Sherrington, famoso fisiologista inglês de Oxford, que escreveu uma obra clássica sobre o olho disse: "Por trás do intrincado mecanismo do olho humano há vislumbres assombrosos de um plano-mestre."
Quando confrontado com a escuridão, o olho humano aumenta cem mil vezes a sua capacidade de ver. A câmera mais admirável jamais feita nem sequer vagamente se aproxima de uma coisa tal, mas o olho humano faz isso automaticamente. Além disso, o olho humano encontra o objeto que ele quer ver e o focaliza automaticamente. Ele se alonga e se comprime a si mesmo. Ambos os olhos se movimentando juntos tomam ângulos diferentes para se fixarem naquilo que se há de ver.
Quando o olho estava pronto para criar-se a si mesmo, teve também a previsão de proteger-se e construiu-se debaixo da saliência óssea do sobrolho, e também providenciou um nariz sobre o qual poderiam ser pendurados os óculos, de que a maioria de nós precisa. E providenciou também uma maneira de poder se fechar, a fim de se proteger contra objetos estranhos.
Finalmente, poderíamos mencionar a incrível mente humana. Sir Henry Fairfield Osborn, o famoso antropologista moderno, disse: "Para mim, o (cérebro) humano é o mais maravilhoso e misterioso objeto de todo o universo." Pensando apenas cerca de um quilo e meio, ele é capaz de fazer o que 500 toneladas de equipamentos elétricos e eletrônicos não podem fazer. Contendo cerca de 10 a 15 bilhões de neurônios, cada um deles um organismo vivo em si mesmo, ele realiza façanhas que intrigam a própria mente."
O Dr. H. M. Morris disse: "Portanto, os homens que rejeitam ou ignoram a Deus o fazem não porque a ciência ou a razão requeira que o façam, mas pura e simplesmente porque querem fazê-lo". As Escrituras dizem: "E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento depravado..." (Rm. 1:28).
Não apenas estas são razões convincentes para se crer na existência de Deus, mas eu creio em Deus porque creio em Jesus Cristo. As profecias, seu nascimento, vida e milagres, seus ensinos, sua morte e ressurreição e a realização contínua daquelas coisas que ele disse que faria me convencem que Deus vive e que viveu em Jesus Cristo, e mais ainda: que agora mesmo pode transformar pessoas.
No seu best-seller Through the Valley of the Kway, Ernest Gordon fala de soldados americanos capturados pelos japoneses na Península de Malaca, que foram torturados e submetidos à fome. Eles se tornaram um grupo de animais que se arranhavam uns aos outros. Finalmente as coisas ficaram tão ruins que eles decidiram começar a ler o Novo Testamento. Ernest Gordon, que tinha grau universitário, leu para eles o Novo Testamento e esses homens se converteram ao Deus vivo, por meio de Jesus Cristo. Essa comunidade de animais se transformou numa comunidade de amor, porque Deus vive e ele vive em Jesus Cristo.
E Cristo está pronto a viver no coração daqueles que confiam nele. Essa alegria, essa paz, essa vida transformada e essa segurança de vida eterna é o que Cristo oferece àqueles que puserem sua confiança na sua morte vicáría. O que tem o incrédulo a oferecer? Um desses incrédulos, W. O. Saunders, escreveu na revista American Magazine: "Eu quero lhes apresentar uma das pessoas mais solitárias e infelizes do mundo. Eu estou falando a respeito do homem que não acredita em Deus. Eu posso apresentar-lhes um homem assim porque eu sou um deles, e me apresentando vocês estarão sendo apresentados ao agnóstico ao cético de sua própria vizinhança, porque ele está em toda parte. Você vai se surpreender com o fato de que o agnóstico inveja a sua fé em Deus, a sua crença nos céus e na vida futura, e sua abençoada certeza de encontrar-se com seus amados numa vida em que não existirão tristeza e dor. Ele daria tudo para possuir uma fé assim e ser confortado por ela. Para ele só existe a sepultura; a única coisa que permanece é a matéria. Depois da sepultura, a única coisa que ele vê é a desintegração do protoplasma e de sua vida psíquica. Mas nessa visão materialista eu não encontro nem êxtase nem felicidade.
O agnóstico pode enfrentar a vida com um sorriso ou com uma atitude heróica. Ele pode apresentar uma fachada de coragem, mas ele não é feliz. Pode pôr-se em espanto ou reverência diante da vastidão e majestade do universo, sem saber a origem de si mesmo e nem por que veio a este mundo. Ele fica consternado diante do espaço estupendo e do tempo infinito, sente-se humilhado por sua pequenez infinita, é conhecedor de sua fragilidade, fraqueza e brevidade. Certamente algumas vezes ele suspira por um cajado em que se apoiar. Ele também carrega uma cruz. Para ele este mundo é uma jangada manhosa à deriva nas insondáveis águas da eternidade, sem horizonte à vista. Seu coração dói por cada vida preciosa embarcada nessa jangada — vagando, vagando, vagando, ninguém sabe para onde."
Eu creio em Deus. No entanto, crer nele não é suficiente, pois até o Diabo crê em Deus e estremece. E preciso não apenas crer que Deus existe, mas também crer que ele se encarnou em Jesus e que morreu por nossos pecados. Precisamos crer e nos arrepender de nossos pecados e nos lançar aos pés de Jesus. Precisamos confiar em Jesus, na sua morte vicária pela nossa salvação. Se não fizermos isso, teremos que enfrentá-lo como Juiz na sua ira, naquele grande dia.
Eu creio nele e sei que ele está vivo. Ele vive em meu coração e já me garantiu a certeza de que viverei com ele para sempre. É meu desejo sincero que essa mesma certeza possa ser sua, se é que você ainda não a possui.
Você já confia nele?
Texto extraído do livro “Por que Creio”, de D. James Kennedy

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

SEGREDOS PARA O AVIVAMENTO ESPIRITUAL

Então, eu disse: semeai para vós outros em justiça, ceifai segundo a misericórdia; arai o campo de pousio; porque é tempo de buscar ao SENHOR, até que ele venha, e chova a justiça sobre vós - Oséias 10:12


Quem nunca teve uma decepção na vida? Creio que todos nós. Todos os dias decepcionamo-nos com as pessoas, com o meio em que vivemos; decepcionamo-nos com a igreja, com o pastor, com o evangelista, decepcionamo-nos até conosco mesmo. Creio que o grande problema da decepção está na expectativa. Nós planejamos alvos, sonhamos com alguma coisa, projetamos sonhos e esperamos vê-los cumpridos, mas... decepção, dá errado, e como que uma lacuna, um espaço, um vazio, um buraco se faz em nosso interior. Vemos grandes potenciais sendo anulados. No tempo de seminário tive uma grande decepção, um grande abalo. Um príncipe, um herói, um servo, um amigo, um irmão, uma pessoa que eu aprendi a respeitar, a amar, a imitar. Tão grande era o galardão desse homem que Deus resolveu levá-lo para si. Um acidente entre Belo Horizonte e João Monlevade (MG) ceifou a vida do seminarista Evantuir Aristóbulo Rios Pereira. Evantuir era o grande "nome" de nossa turma. Humilde, piedoso, pai e esposo exemplar, estudioso, versado no grego e hebrico; pregador ardoroso, apologeta brilhante. Mas, pouco antes de nossa formatura, Deus o tomou para si.
O livro de Oséias é o livro das decepções, dos sonhos frustrados, das expectativas anuladas. Deus tinha uma expectativa com relação a Israel, e o sonho de Deus é frustrado. Deus tipifica isso na vida de Oséias, o profeta. Deus ordena que Oséias se case com uma mulher prostituta. E este relacionamento de Oséias com Gômer, a prostituta, é símbolo do relacionamento de Deus com o povo de Israel. Ou seja, Deus tirou a Israel do meio da iniquidade, da devassidão da idolatria e restabeleceu-o, deu-lhe lugar de honra, deu-lhe proteção, um casamento, filhos, um marido. Deus sonhou, teve expectativas para com Israel, mas, decepção. Gômer traiu Oséias, voltou à prostituição, cuspiu no prato de prata que comeu.
Deus tinha uma expectativa para com Israel. No contexto anterior do texto lido vemos exatamente esta cena, representada por outra figura (11). "Porque Efraim (a maior tribo) era bezerra domada que gostava de trilhar”. Qual era a expectativa de Deus? Derramar abundantes bênçãos sobre Israel: “Chover justiça sobre seu povo” (12). Esta era a expectativa de Deus, derramar, fazer chover justiça sobre o povo, símbolo de um avivamento espiritual.
Avivamento é Povo em harmonia, em consonância plena com a vontade de Deus; o povo entendendo, de fato, como Deus é, e como Ele age. Por isso as épocas de avivamento são épocas em que o poder de Deus manifesta-se maravilhosamente entre seu povo.
No entanto, Decepção: observe o contexto anterior: “Castigarei o povo na medida do seu desejo; e congregar-se-ão para ele os povos, quando eu punir por causa da dupla transgressão (10). E posterior “Arastes a malícia, colhestes a perversidade, comestes o fruto da mentira....” (13). Decepção, expectativa anulada. Deus queria abençoar, mas o povo agiu de forma contrária.
Há responsabilidade humana para com o avivamento espiritual! Todos precisamos de um avivamento em nossas vidas, de Deus derramar justiça sobre nós. E o texto básico, Oséias 10:12, demonstra 3 segredos para um avivamento espiritual .

1- SEMEAR EM JUSTIÇA (Investimento Pessoal)
semeai para vós outros em justiça
O avivamento é uma obra que vem de Deus, é verdade. No entanto, os grandes intervenções de Deus, na história, são dadas em resposta ao clamor de seu povo. Deus é soberano. Isso é tremendo! As nações diante dEle, diz-nos as escrituras, são consideradas como um pingo dágua que cai do balde. Mas o fato de Deus ser soberano não exclui ou diminui em nada a nossa responsabilidade. Todos os atos libertadores de Deus na história, foram dados em resposta às orações de seus servos. Isso é tremendo!
Porquê assim? Porque Deus decidiu que assim o fosse. Deus em sua livre e soberana vontade decidiu que eu e você fôssemos COOPERADORES dEle em sua obra (1ª Co 3:9). Deus respondeu, no Egito, quando o povo clamou. Outra vez, irado, resolveu destruir o povo, mas Moisés clamou. Então Deus transportou uma nação inteira (600.000 homens) pelo deserto, por causa da intercessão de 1 homem.
Hoje, a nossa redenção, a nossa salvação torna-se eficaz por causa da intercessão de Jesus Cristo, no ministério que ele exerce por nós, nos céus, como eterno mediador e intercessor (Hb.7:25; 1Tm 2:5). Quem nos condenará? É Cristo Jesus quem morreu, ou antes, ressuscitou, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós (Rom. 8:34). E o Espírito Santo que está dentro de nós também intercede por nós COM GEMIDOS INEXPRIMÍVEIS ( RM. 8:26). O próprio Deus não abriu mão do ministério da intercessão. Deus permitiu que o povo fosse para o cativeiro porque procurou 1 para se colocar na brecha e interceder, porém a ninguém ele encontrou! “Busquei entre eles um homem que tapasse o muro, e se colocasse na brecha perante mim, a favor desta terra, para que eu a não destruísse; mas a ninguém achei” (Ez. 22:30).
O que queremos dizer com tudo isso? Apenas uma coisa: Deus quer que façamos a nossa parte. Ele sendo soberano, pode fazer sem nossa ajuda, mas Ele decidiu que asssim fosse, que nós participássemos com Ele.
Deus quer derramar, chover justiça sobre seu povo, no entanto, o requisito é que semeemos em justiçaA palavra “justiça” significa em última instância conformidade com a lei e a vontade de Deus. O Reino de Deus, é um Reino que se manifesta em justiça, ou seja em igualdade de direitos e deveres para todos. A palavra justiça é uma das mais faladas, quando vemos o pobre e o menos favorecido sendo oprimido cada vez mais. Justiça significa estar de acordo em conformidade, mas não com as regras dos homens que são falíveis, mas com a vontade de Deus, aleluia!!
Então, "semeai em justiça", ou seja, faça um investimento próprio em sua vida; faça todo o possível para estar de acordo com a vontade de Deus. Deus tem a expectativa de abençoar sua vida. Então, Semeai em justiça e Deus derramará chuva de justiça em sua vida.
Quer um avivamento em sua vida? Faça a sua parte! Suzana Wesley orou por seus filhos (19 filhos). Deus respondeu: derramou um avivamento sobre seu filho, o 16º (John Wesley), este tornou-se um grande avivalista, pregou por toda Inglaterra, ao ponto de em todo país em seus dias, não se encontrar bebidas alcoólicas.
Invista em sua vida. Coloque-a no centro da vontade de Deus. Ashbel G. Simonton, foi o missionário que trouxe Presbiterianismo para o Brasil em 12 de agosto de 1859. Quando seus pais o levaram à igreja pela primeira vez à igreja disseram: “Nós o consagramos para a tua obra.” Simontom cresceu, foi para o seminário e ao terminar o curso de teologia no seminário de Princeton, recebeu o chamado de Deus para vir trabalhar na obra missionária no Brasil. Um amigo dele diz: “Você vai abandonar a boa vida, aqui nos Estados Unidos, para ir a um país pobre, onde as doenças epidêmicas têm devastado e arrasado muitas vidas. Você vai deixar um lugar de conforto, para ir a um lugar de perigo e tanta insegurança?” Mas ele respondeu: “Não há lugar mais perigoso para um homem, do que ele estar fora da vontade de Deus”.
Meus irmãos e amigos, não há lugar por pior que seja, que ofereça risco por pior que seja, do essa pessoa estiver fora do centro da vontade de Deus. E Simonton concluiu: “Ainda que eu morra no Brasil, na realidade estarei oferecendo minha vida, como aroma suave ao Senhor”! Ele veio e num rápido e meteórico ministério de 8 anos no Brasil deixou marcas indeléveis na história da evangelização brasileira. E creio eu, a história da evangelização do Brasil, e de grande parte do mundo de hoje, deve em parte, ao voto de consagração de uma mãe de um pai, e de um filho que soube buscar a vontade de Deus para a sua vida, soube investir sua vida, soube semear em justiça, fez a sua parte.
Trabalhe, lance a semente, invista em sua vida pessoal com Deus “Busque em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua Justiça, e Deus acrescentará um avivamento espiritual e sua vida” (Mt. 6:33).
Mas vejamos ainda um 2º segredo para o avivamento espiritual:

2- CEIFAR SEGUNDO A MISERICÓRDIA (Investimento social: “no outro”)
ceifai segundo a misericórdia
O bumerangue é um brinquedo que lançamos em várias direções, mas ele é fiel, acaba sempre retornando para nós. A bíblia diz: “tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6). O mesmo profeta Oséias diz “Porque semeiam ventos, segarão tormentas” (8:7). Esta segunda verdade para Deus derramar um avivamento espiritual sobre nós consiste da conseqüência de se “Semear em justiça”, e como um bumerangue que retorna, “colher segundo a misericórdia”.
Naquele tempo, no período das colheitas, o dono da propriedade não deveria colher os cereais que caíssem dos balaios, nem os esquecidos nos pés. Essa parte era dos pobres, das viúvas e órfãos, dos escravos. Rute usou desse meio de subsistência, no campo de Boaz. Deveriam aprender a ser misericordiosos, porque, Deus havia sido misericordioso com ele. Em última instância era Deus, o dono da propriedade. Este era o ensino. Deus é soberano, e vocês estão em pé de igualdade com os menos favorecidos, amanhã poderá ser você o necessitado!
Há algum tempo ministrei sobre dons espirituais e diferenciei dois dons poucos tratados na igreja: Dom de Serviço (ministério) e o Dom de Misericórdia. Imagine uma pessoa caída num poço. Quem tem o Dom de serviço joga a corda para a pessoa pegar e a puxa para ciama. Já quem tem o Dom de Misericórdia desce até lá para sentir as mesmas dores e sair de lá com a pessoa.
“Ceifai segundo a misericórdia!”. Veja a sutileza do texto. Em relação à sua vida: Invista em justiça e Deus derramará justiça, Mas, em relação ao outro, invista m misericórdia, não em justiça. Não exija tanto das pessoas, seja misericordioso, invista no outro em misericórdia. Misericória  é colocar o nosso coração “Cardia” na miséria do outro. Esta palavra trás em seu bojo a idéia de amor verdadeiro, fidelidade, devoção, intimidade. É sentir a fome que o outro sente, é descer ao fundo do poço, é dar a capa se te pedirem as vestes, é andar 2 milhas se te pedirem para andar uma. Para o avivamento vir, a parte humana consiste de colher em misericórdia. Deveriam aprender a investir no outro, se preocupar verdadeiramente como outro, é viver uma vida altruísta.
A atitude do pelicano:
Dizem que quando o pelicano sai procurando alimento para seu filhote e não encontra, o que ele faz? Ele rasga o seu peito com o bico e pega de seu próprio sangue com o bico e o alimenta seu filhote com o seu próprio sangue. Você está disposto a fazer o que for preciso para que abençoar o outro? Você está disposto a fazer o que for preciso para um avivamento em sua vida?
A mulher da mão deformada:
Certa moça tinha uma mãe que possuía uma das mãos toda deformada. Sua filha sempre olhava para aquela mão feia, toda retorcida e ficava curiosa para saber o que era aquilo. Um dia ele tomou coragem e perguntou à sua mãe porque a mão de sua mãe era tão feia. A mãe lhe respondeu: “Filhinha, eu nunca lhe contei esta história. Você era bebê e um dia a nossa casa pegou fogo. Você estava deitada no seu berço e eu desesperada corri para pegar você, e as chamas já ardiam literalmente queimando o seu quarto e seu berço. Eu então para poupar você, para livrá-la das chamas, tive de enfiar literalmente a mão no fogo e a minha mão foi queimada. Por isso eu tenho a mão tão feia.” Aquela menina começou a chorar e as lágrimas a rolarem pela face então disse: “Mamãe, suas mãos são tão lindas!”
Você está disposto a fazer o que for possível seus semelhantes sejam arrebatados do fogo? Então colha em misericórdia, abençoe o outro. O fato de Deus ser soberano, ter todo poder na mão, não te livra de sua responsabilidade pessoal. Lancemos o "bumerangue", segundo a misericórdia, porque Deus foi misericordioso conosco. E Deus derramará um avivamento espiritual sobre a nossa vida.
Mas, por fim, o texto fala-nos a respeito de um terceiro segredo para o avivamento espiritual:

3- ARAR O CAMPO DE POUSIO (abertura para novas possibilidades)
arai o campo de pousio
Deus quer derramar bênçãos do avivamento sobre sua igreja, o avivamento espiritual vem dEle, é verdade, mas, Ele decidiu que nós devemos clamar por ele. O profeta Habacuque clamou: “Aviva Senhor a tua obra... (Hc 3:2)”. Arar o campo de pousio. No hebraico quer dizer: Arar um campo ainda não cultivado, um campo virgem. A idéia é: mude de campo; esteja aberto para um novo relacionamento comigo. Esteja aberto para experiências novas com Deus. Aprenda a mudar, até mesmo em relação à misericórdia. Procure Ter um relacionamento novo comigo. Eu sou um Deus de coisas velhas, mas também de coisas novas
Até mesmo a misericórdia precisa mudar. Não se pode ser misericordioso sempre. Certa pessoa que disse ter se convertido (era um envolvido com drogas); depois de 6 meses regressou às drogas. O Pastor conversou, instruiu, ajudou. Foi longânimo durante 2 anos, sempre havendo repetição do faltoso. Até que um dia a misericórdia acabou. O pastor falou-lhe cara a cara: “A partir de hoje, não oro mais com você, você nunca se converteu, nunca foi crente, você é uma vergonha e uma desgraça para a Igreja. Você é um câncer no corpo de Cristo, você sempre foi um lobo em pele de ovelha. Você não está apenas disciplinado, você está excluído da igreja da qual você nunca fez parte. Oro pela sua vida esperando que Deus tenha misericórdia de você, porque se você morrer hoje, do jeito que está, você vai para as profundezas do inferno, porque lhe falta confirmação de sua conversão. Se o pecado te domina, é porque você nunca foi libertado e se você nunca foi libertado, você nunca foi transportado do Reino das trevas, e se você não foi transportado do reino das trevas, você nunca foi crente, e se você nunca foi crente, você é um incrédulo, um filho de Satanás; Eu não tenho nada contigo!"
Amados é preciso aprender a mudar de campo. Infelizmente tem pessoas que aprenderam algo de certa forma e jamais estão dispostas sequer a pensar em mudar. Estamos num mundo que está em pleno desenvolvimento. É óbvio que há aspectos, na vida cristã que são inamovíveis, mas nem tudo. Pessoas que não abrem mão, acham que servir a Deus é somente do jeito que elas sabem, acham que cultuar a Deus é somente dessa forma, acham que o culto é somente isso. Precisamos estar abertos a novas experiências com o Espírito de Deus. Não limite a vida cristã à mediocridade. Esteja aberto para Deus agir como, quando e do jeito que Ele quiser em nossaas vida: “Rogo-vos pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis vossos corpos por sacrifício vivo, santo, e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12: 1-2).
O cristão é comparado à águia, e a águia é um pássaro majestoso, mas creio que a capacidade maior que a águia possui, é a capacidade de entender quando ela não é mais a mesma, e precisa renovar, mudar. Leia comigo o Salmo 103:5a tua mocidade se renova como a da águia”. A águia não aceita a derrota e a mesmice; ela prefere a morte à mesmice e à rotina. Quando começa a perceber que seus movimentos não são mais o mesmos, que suas penas estão gastas e etc, ela se isola, sobe para um lugar deserto daí começa a arrancar suas penas uma a uma com o bico, depois esfrega o bico na rocha e vai devagarinho rasgando o bico até ficar na carne e sangue, depois começa a bater suas garras da rocha, até quebrá-las uma a uma. Ela se transforma numa cena horrível, mas, paga o preço da mudança, da renovação. Depois de um tempo, tudo nasce de novo e ela está pronto para a batalha. Penas mais lindas e resistentes (vencem a tempestade isola do calor), bico e garras novas (defesa e ataque). Eis a lição: não se conformar em ser um ser insignificante como ela estava se tornando. Isso é próprio dela pois está em seu sangue, só há uma opção é vencer ou vencer! Se não for assim, ela prefere a morte.
Muitas vezes fico triste ao ver cristãos que não entenderam que as alturas, a vitória, o "permanecer nas alturas", o ser vitorioso, é algo inerente a eles. São crentes que não trabalham mas, dão trabalho. Não evangelizam, mas atrapalham a evangelização, eternos imaturos, não aprenderam a dizimar, estão enterrando seus sonhos, seu relacionamento com Deus, parecem uma águia que acha que tem a asa quebrada (conhecem as alturas, sabem o que é olhar de cima, sabem o que é o vento batendo nas faces, mas como se acham com as asas quebradas, sentem-se limitados). É hora de mudar, é hora de arar o campo de pousio, é hora de procurar um campo virgem, um outro campo, um campo novo, um campo que não tenha ainda sido cultivado, é hora de iniciar um novo relacionamento com Deus, é hora de novos desafios.
É hora de clamar por um avivamento espiritual. (George Witfield pregava a um enorme público, quando Deus o usou poderosamente - Leu Hebreus 9: 27 por 3 vezes, sempre depois vinha um silêncio e um grito, morreu alguém (3 pessoas morreram). O temor de Deus tomou conta do povo). Ronaldo Lidório (o grande missionário da nossa geração) está retornou ao Brasil, o trabalho lá (Gana) não mais exige tanto dele. O novo desafio agora, com Deus,é direcionado aos índios brasileiros. Quer que Deus derrame um avivamento sobre sua vida? Semeie em justiça, ceife em misericórdia, are um campo de pousio.
Conclusão:
Qual era o propósito de Deus? Abençoar poderosamente o povo, mas esta expectativa de Deus não foi correspondida. Israel decepcionou. Por isso Deus restaurou com cada um de nós a sua aliança, “veio para o que era seu e os seus não o receberam, mas a todos quanto o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome” (Jo 1:12).
Hoje, através de Cristo Jesus, todos os homens podem agradar a Deus, podem receber semear em justiça, pois Deus aceita o sacrifício de Cristo em nosso lugar. Todos podem colher em misericórdia, pois já entenderam como Deus foi misericordioso com eles. Amamos Ele, pois, ele nos amou primeiro. Podemos deixar de lado o campo antigo, o das boas obras e entrar num relacionamento novo com Deus a todo instante, através de Cristo e de seus méritos.
A palavra continua: “é tempo de buscar ao Senhor até que Ele venha e chova justiça sobre vós”. É tempo, e o tempo é agora. O avivamento vem exatamente quando o caos impera. Nossa época vive caos político, social, familiar, religioso. É hora do avivamento vir sobre nossas vidas. É hora de mostrarmos para este mundo Cristo Jesus, ele é a única esperança, o único meio desse mundo mudar. É hora de buscar ao Senhor. Israel decepcionou, e você tem agora a chance de suprir todas as expectativas de Deus para a sua vida.
Em certa oportunidade num, teatro cheio, um rapaz rapidamente entrou em cena e gritou: Chamas, Chamas! Ninguém prestou-lhe ouvidos, entenderam que era brincadeira, encenação; e ele cada vez mais gritava com mais força: Chamas, Chamas! Quando viu que não tinha mais jeito correu, porque o cenário incendiado começou incendiar-se, até que as pessoas se aperceberam que era necessário entender que era sério e deveriam tomar uma atitude. Tentarm fugir, mas foi inútil, centenas morreram queimados.
Hoje eu desafio você a realizar o sonho de Deus para sua vida entrando em uma aliança eterna com ele. Ai de você se julgar que estou brincando, encenando, ou achar que possui mais tempo. Assim como Deus manifestou sua ira com Israel, ele manifestará com você. Em nome de Jesus, entenda que já “é tempo de buscar ao Senhor, até que venha e chova a sua justiça sobre nós”. Faça a sua parte, agrade a Deus, os segredos para a bênção de Deus derramar sobre sua vida, foram lhes dado nesta noite!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

ANTES DE AMARRAR SATANÁS

Antes de amarrar Satanás, amarre os seus pés. São eles que o levam para o conselho dos ímpios, para o caminho dos pecadores e para a roda dos escar-necedores (Sl 1.1). Retire o seu pé do mal, da casa da mulher adúltera, do caminho largo, do altar de ídolos, da multidão dos que não servem a Deus (Pv 4.26-27).
Antes de amarrar Satanás, amarre os seus joelhos, para eles não se dobrarem diante do tentador (Lc 4.7), diante de Baal (1 Rs 19.18) e diante das riquezas (Mt 6.24).
Antes de amarrar Satanás, amarre as suas mãos. Se elas o fazem tropeçar, corte-as. Pois “é melhor entrar na vida eterna sem mão ou sem pé do que ficar com eles e ser jogado no fogo eterno” (Mt 18.8, BLH). As mãos precisam ser santas (1 Tm 2.8) e precisam estar agarradas ao arado, “pois quem põe a mão no arado e olha para trás não é apto para o reino de Deus” (Lc 9.62).
Antes de amarrar Satanás, amarre o seu coração. Ele não pode amar outro cônjuge além do seu, outro deus além de Deus. Ele não pode amar o mundo nem o que há no mundo (1 Jo 2.15).
Antes de amarrar Satanás, amarre a sua língua. Ela é um mal incontrolável, cheio de veneno mortífero. Ela contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de uma vida (Tg 3.1-12).
Antes de amarrar Satanás, amarre os seus ouvidos. Ele não podem ouvir blasfêmias, irreverências, mentiras nem pornochanchadas.
Antes de amarrar Satanás, amarre os seus olhos. Se os seus olhos forem maus, o seu corpo todo ficará na escuridão. Olhos altivos, olhos de cobiça, olhos cheios de adultério, olhos que nunca olham para cima – precisam ser amarrados dia após dia.
Antes de amarrar Satanás, amarre a sua mente. Ela precisa ficar cativa a Cristo. Você não tem o direito de pensar a seu gosto. Você só pode pensar naquilo que é verdadeiro, nobre, correto, puro, amável e de boa fama.
Antes de amarrar Satanás, amarre seu gênio. Se você não suporta um revés, uma ofensa, uma crítica, uma dor – você é incapaz de viver neste mundo. Você não pode pedir fogo do céu para consumir os que não batem palmas para você.
Antes de amarrar Satanás, amarre a sua vaidade pessoal. A soberba é um pecado latente que precisa ser dominado. É um pecado perigoso. A desgraça está um passo depois do orgulho e logo depois da vaidade vem a queda. O problema é grave demais.
Antes de amarrar Satanás, amarre a sua incredulidade. Ela é um entrave enorme e uma ofensa contra Deus, pois sem fé é impossível agradá-lo. Você não pode raciocinar corretamente se não incluir os recursos da fé na revelação e nas promessas de Deus.
Antes de amarrar Satanás, amarre a sua preguiça. A preguiça faz cair em profundo sono e inventa mil desculpas para você não se mover. Cuidado com a preguiça mental que não o deixa ler e estudar a Palavra de Deus. Cuidado com a fé sem obras.
Antes de amarrar Satanás, amarre a sua timidez. O exército de Deus não recruta soldados tímidos. Eles não estão aptos para a guerra e ainda contaminam os outros guerreiros. Ouça a pergunta de Jesus: “Por que você está com tanto medo, homem de pequena fé?”.
Antes de amarrar Satanás, amarre o seu “eu“. Você não governa mais a sua vida. Você foi crucificado com Cristo. Assim já não é você quem vive, mas Cristo vive em você. Você não tem direitos. Convém que Jesus cresça e que você diminua.
Antes de amarrar Satanás, amarre o pecado que habita em você. Deixe à míngua o apetite da pecaminosidade latente. Castigue o seu corpo e faça dele o seu escravo. Ofereça-o em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.
DEPOIS DE TUDO AMARRADO, sinta-se à vontade para amarrar Satanás, no sentido de resistir às suas artimanhas e às suas investidas periódicas. Faça isso com a autoridade de quem já se amarrou primeiro. Sempre em nome de Jesus!

Autor: Elben M. Lenz César - Diretor-fundador da Editora Ultimato e redator da revista Ultimato; é autor de, entre outros, Refeições Diárias com os Profetas Menores, A Pessoa Mais Importante do Mundo, História da Evangelização do Brasil, Práticas Devocionais e Olhe para o Alto. Ex-presidente da Associação de Missões do Terceiro Mundo e fundador do Centro Evangélico de Missões, do qual é presidente de honra, é também jornalista e pastor emérito da Igreja Presbiteriana de Viçosa - MG.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

ESPÍRITO PORCO

Na análise do comportamento humano, o criminalista brasileiro Waldir Trancoso Peres, que já defendeu 100 homens que mataram suas esposas, e 30 mulheres que mataram seus maridos, aproxima-se muito da teologia da bíblica pecaminosidade latente do ser humano. Basta ler os seguintes pronunciamentos retirados de sua entrevista `a Revista Veja, de 30 de novembro de 1994: "O espírito do homem é porco. Por ali passam desejos de todos os matizes que são os mais cruéis e terríveis". "O mais generoso dos homens já deve Ter desejado a morte de mais de uns 100. Esse impulso todo mundo tem". "Não há quem não tenha lixo atômica na cabeça. É preciso descarregar isso em algum lugar". "Qualquer um de nós tem instintos homicidas". "Se cada um pensar melhor, verá que não é nada impossível que amanhã seja o agente do crime".
O criminalista que já passou mais de 3000 horas nos tribunais, cita ainda mais um conselho atribuído ao médico francês Maurice: "Depois de percorrer todos os caminhos da alma humana, cheguei a uma conclusão: tenhamos piedade uns dos outros". Há muitas outras vozes que têm falado as mesmas coisas em outras ocasiões. O filósofo Romano Sêneca, que foi contemporâneo de Jesus Cristo e conselheiro de Nero, para quem a catástrofe é resultado da destruição da razão pela paixão, declarou: "Somos todos perversos. O que um reprova no outro, ele o achará em seu próprio peito. Vivemos entre perversos, sendo nós mesmos perversos". Já o moralista Samuel Johnson, que escreveu "A Vaidade dos Desejos Humanos" em 1749, confessou: "Cada qual sabe de si mesmo o que ele não ousa contar ao seu mais íntimo amigo". Poucos anos depois, o poeta alemão J. W. Goethe exclamou: "Não vejo falta cometida que não a pudesse Ter cometido".
Para este problema dos "impulsos negativos da nossa espécie" ou do "espírito porco" - só há uma estratégia que da certo: a arte de negar-se a si mesmo todas as vezes que o desejo for pecaminoso, criminoso, egoísta, anti-ético, louco. Esta é uma condição sine qua non para se tornar cristão: "Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me"
Élben Lenz Cézar - Livro: "Antes de Amarrar Satanás"

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

AS DEZ MARCAS DE UMA SEITA

Você sabe o que é uma seita? Sabe como identificá-la? Uma seita, à luz da fé cristã evangélica, é uma facção religiosa que tem doutrinas contrárias aos ensinamentos bíblicos. Muitas delas, inclusive, denominam-se cristãs, todavia negam fundamentos básicos da fé cristã. Portanto, tome muito cuidado neste sentido. Abaixo são apresentados 10 critérios que se enquadram em uma seita:
1. Uma seita costuma ver a si própria como a "verdadeira igreja", e exclui as outras denominações e igrejas de serem parte da igreja autêntica de Cristo. Em outras palavras, ela é exclusivista em seu ensinamento. O resultado disto é a insistência para que os convertidos deixem suas igrejas e se unam a eles. Todas as outras igrejas são declaradas como desonestas, enganosas e ilusórias. Há variedades suaves e outras mais radicais desta heresia, mas nem por isso deixam de sê-la.
2. Uma seita tem, na maioria dos casos, uma visão errônea da Trindade. A doutrina clássica da Igreja de "Deus em Três pessoas" é freqüentemente modificada de alguma forma. A maioria das seitas não considera Jesus como sendo igual ao Pai e ao Espírito Santo.
3. Uma seita costuma ter um "Jesus e mais alguma outra coisa" como o fundamento de sua "teologia". Seja com o guardar um determinado dia da semana, seja com regras de vestimenta, ou com algum rito especial, uma seita deixa o “Cristo somente” e cai num ensino herético.
4. Uma seita freqüentemente coloca fé e confiança exagerada em seu líder. Para uma personalidade semelhante a um “guru” (que geralmente ganha um título muito dignificante) é dado algum status de semi-deus pelos devotos. Isto resulta na crença de que tudo o que ele ou ela diz, ou faz, deve ser infalível.
5. As seitas freqüentemente taxam a Bíblia de autoritária. No entanto, de maneira prática, elas sempre dão autoridade igual ou maior a outros escritos ou a revelações de outras pessoas, geralmente líderes seus.
6. É comum que uma seita negue a salvação como sendo dependente da graça somente. Eles rejeitam o fundamento do Evangelho Cristão - a expiação - de que Cristo pagou o preço total do pecado do Seu povo, e que o homem não pode contribuir em nada para a sua salvação.
7. As seitas costumam ser extremamente dogmáticas em suas visões escatológicas (crenças com respeito ao final dos tempos) e freqüentemente incluem seus próprios grupos como o cumprimento de profecias com respeito ao final dos tempos.
8. Uma seita freqüentemente urge os membros a deixar suas famílias, abusando de versos tais como “se alguém vier a mim e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:26). Algumas seitas insistem para que seus aderentes quebrem todos os laços com membros da família e com amigos.
9. Uma seita freqüentemente reivindica as posses financeiras de um membro para o seu grupo. Alguns líderes de seita demandam que todas as posses sejam transferidas para o nome do líder ou do grupo. Entregar dinheiro, casas e propriedades é considerado como obediência ao mandamento “vai e vende tudo” (Marcos 10:21). A manipulação mental, principalmente controlada através da culpa, é usada para ganhar vantagens financeiras dos membros.
10. As seitas normalmente tomam todas as decisões mais importantes, da vida pessoal e profissional, por seus membros. Não há liberdade para os seus seguidores buscarem a Deus por si mesmos.
Tenhamos cuidado. "O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância". (João 10:10)

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

OS 40 TIPOS DE CRENTES

APENAS PARA DESCONTRAIR... Em qualquer igreja, sempre tem aquele irmão(a) que não leva as coisas a sério, não é mesmo ? Confira abaixo 40 tipos de crentes mais famosos que podem ser encontrados dentro das igrejas. Com certeza enquanto você estiver lendo você vai se lembrar de algumas pessoas. Mas, mesmo assim precisamos amá-los, não é mesmo ? Confira:

CRENTE CHICLETE: só mastiga a Palavra, mas não engole...
CRENTE URSO: no inverno, fica hibernando
CRENTE AÇUCAR: se sair com chuva, derrete.
CRENTE CHUCHU: que pega qualquer gosto, "Maria vai com as autras"
CRENTE QUIABO: vive escorregando.
CRENTE LEÃO: não se meta com ele, pois ele é o Rei da Igreja…
CRENTE TOCHA: tá toda hora queimando… Queima demônio, queima
CRENTE AGENTE SECRETO: ninguém sabe que ele é crente
CRENTE BORBOLETA: que anda de igreja em igreja
CRENTE ÔBA-ÔBA: "tudo é festa"
CRENTE CARRINHO DE MÃO: alguém tem que empurra-lo até a igreja
CRENTE GELINHO: cheio dos "não me toques!"
CRENTE FLORZINHA DE JESUS: qualquer coisa , sai da igreja
CRENTE GABRIELA: "eu nasci assim, eu cresci assim, e vou ser sempre assim, Gabriela..."
CRENTE MACHADO: qualquer idéia, ele já corta.
CRENTE BULE: de "pô café" (pouca fè)
CRENTE ESCOTEIRO: só vai em acampamento
CRENTE KODAK: vive de revelação
CRENTE "6 ORA": seis ora por mim...
CRENTE ENXADA: quando o pastor está pregando, ele diz: é prá mim!
CRENTE PÁ: quando o pastor está pregando, ele diz:é pra ele!
CRENTE ALELUIA: só diz aleluia na hora errada
CRENTE COM DOM DO CANTO: fica lá no canto da igreja encostado e não quer saber de trabalhar!
CRENTE CELULAR: só vie desligado ou fora de área.
CRENTE ROCAMBOLE: enrolado...
CRENTE CELULAR: só vive desligado ou fora de área.
CRENTE PÃO DE FORMA: miolo mole, casca grossa, chato e quadrado
CRENTE ZAGALO: os irmãos tão sempre tendo que engoli-lo
CRENTE RUBINHO BARRICHELO: Freia no fim da prova só pra deixar todo mundo passar por você na vida espiritual
CRENTE JACARÉ: tem uma boquinha…
CRENTE ELEVADOR: está sempre subindo e descendo na vida espiritual…
CRENTE MACACO: vive pulando de igreja em igreja… Crente Pipoca – vive dando pulo…
CRENTE PIOLHO: anda pela cabeça dos outros… Crente açúcar – se sair com chuva, derrete.
CRENTE ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS: vive sonhando. Acorda, Alice !
CRENTE AVIÃO: vive nas nuvens.
CRENTE HOMEM ARANHA: vive subindo pelas paredes por qualquer coisa…
CRENTE CHAPOLIM: você pode contar com tudo, menos com sua astúcia..
CRENTE AVESTRUZ: vive colocando a cabeça embaixo da terra quando tem um problema.
E então, lembrou de alguém ??? QUE DEUS TE ABENÇOE

ESTA DIVERTIDA MENSAGEM FOI ENVIADA POR leandro.prcarlos@gmail.com